400 visualizações


Santa Catarina possui marcas de luta em todo o seu território. Lutas populares que escapam das fronteiras desde o início da resistência originária com a invasão européia. Se na tentativa de branquear nosso povo, se adicionou a essas terras mais migrantes europeus, muitos camponeses e operários trouxeram consigo também a rebeldia como raízes de uma utopia libertária.

Hoje, dia 27 de agosto, comemoramos o aniversário do Coletivo Anarquista Bandeira Negra que há dez anos existe como resultado de muitos anos anteriores da organização popular catarinense. Em um década, construímos lutas comunitárias, sindicais, estudantis e territoriais, estando lado a lado na denúncia contra o Estado genocida e aprendendo com os povos em luta. O mundo que queremos deve ser construído no agora, então nesses 10 anos sempre foi necessário um coração aberto e muita disposição para seguir desbravando um amanhecer nessa longa noite de dominação que vivemos como povo oprimido. Para isso, não estamos só: contamos com toda a companheirada das organizações que compõem a Coordenação Anarquista Brasileira e o anarquismo especificista na América Latina!

Em uma década, sabemos que há por vir muitos outros anos de luta. O socialismo libertário deve crescer em nossos corações, explodido feito bomba nos corações das oprimidas desse território. Santa Catarina, que tem sangue rebelde, é a terra da Revolta do Contestado com toda a insubmissão cabocla; da resistência histórica dos povos originários das Nações Guarani M’byá, Kaingang e Xokleng; das lutas pelo direito à terra pelo povo trabalhador rural. Santa Catarina é terra em disputa e é nela também que o Socialismo Libertário tem criado raízes com muita luta e organização!

Onde existe injustiça e opressão, existe resistência e luta!

Por um território contestado e rebelde!

VIVA A ORGANIZAÇÃO POPULAR! VIVA OS 10 ANOS DE CABN!




Fonte: Cabn.libertar.org