Dezembro 8, 2020
Do Agencia De Noticias Anarquistas
285 visualizações


No dia 5 de novembro de 2020, a Procuradoria Geral da União ordenou uma operação de repressão contra suspeitos de antifascismo em Leipzig. Para uma antifascista em específico, a polícia havia feito um mandado de prisão, que utilizaram para detê-la em prisão preventiva.

As pessoas afetadas pela operação estão sendo acusadas de planejar, preparar e executar diversos ataques contra os fascistas. Tudo isso faz parte da acusação clássica, e hoje muito conhecida, de formação de quadrilha, prevista no Artigo 129 do Código Criminal, que teria o propósito de “executar ataques contra pessoas relacionadas com a direita política.”

No dia 6 de novembro de 2020, a Suprema Corte Federal outorgou o mandado de prisão contra Lina. Em uma conferência de imprensa, foi dito oficialmente que a procuradoria acusa Lina de personificar a “liderança estratégica” do grupo e de representar uma “posição de liderança” dentro desta associação criminal fantasma. A grande imprensa não hesitou em nomeá-la “a líder.”

Lina está sendo levada para a prisão neste exato momento [6 de novembro de 2020]. Ela tem muitas e árduas semanas pela frente, que irão custá-la não apenas seus nervos, mas também muito dinheiro.

Segue abaixo a vaquinha em solidariedade a Lina:

Rote Hilfee.V. GLS-Bank Konto-Nr .: 4007 238 317 BLZ: 430 609 67 IBAN: DE55 4306 0967 4007 2383 17 BIC: GENODEM1GLS Palavra-chave: unverzagt

Atualizações e mais informações (em alemão) neste site: freiheitfuerlina.noblogs.org

No dia 5 de novembro de 2020, a Procuradoria Geral decidiu fazer uma busca em três apartamentos de suspeitos de antifascismo, em Leipzig, dois deles na região de Leipzig-Connewitz. A antifascista Lina foi imediatamente posta em prisão preventiva. Nós não queríamos ficar apenas olhando enquanto policiais invadiam nosso bairro pela milésima vez, derrubando nossas portas, destruindo nossos apartamentos e, não satisfeitos, ameaçando sequestrar nossos camaradas. Enquanto uma das casas estava no meio de um processo de busca, nós tacamos pedras no carro dos policiais à paisana que faziam a revista. Quando, na entrada da casa, um policial à paisana, vestindo um casaco por cima de um colete a prova de balas, ameaçou correr até seu carro, nós decidimos atirar as pedras restantes nele, através da porta de vidro da casa. Descobrimos, então, que coletes a prova de balas protegem contra balas, mas não contra pedras, e o babaca decidiu não se expor mais do que isso.

Nós temos certeza de que conseguimos assustá-los e conseguimos dar a quem quer que seja que sofria aquela repressão ao menos um breve momento de alegria. Obviamente, os policiais esperavam poucas pessoas no local, para não atrair muita atenção e evitar, assim, a frustração que já haviam sentido da última vez. Mas nós mandamos a mensagem alta e clara de que eles não podem invadir nosso bairro e entrar em nossas casas e ainda sair tranquilos, com essa ilusão que eles têm de que podem fazer seu trabalho com toda a calma que querem. Todo e qualquer ataque será prontamente revidado. Mas eles já deveriam saber disso.

Tanto essa prisão quanto as medidas restritivas despertaram uma enorme raiva dentro de nós. Portanto, estamos felizes em saber que nos dias seguintes, os policiais foram atacados de diversas maneiras:

Sexta-feira:

Um cortejo de guerra atravessou a cidade: barricadas e pedras atiradas contra policiais.

Sábado:

A delegacia de polícia de Leipzig-Connewitz foi atacada com pedras, assim como os carros de polícia que passavam pela região. Barricadas de fogo foram erguidas. Enquanto os policiais tentavam revidar com escavadeiras, hidrantes, centenas de soldados e um esquadrão de cães, uma pequena batalha os manteve ocupados.

Domingo:

A delegacia de Leipzig-Connewitz foi atacada novamente. Já na delegacia de Leipzig-Plagwitz, um enorme “ACAB” (Todos os Policiais São Bastardos) apareceu na parede, em solidariedade a Lina, pixado com extintores de incêndio cheios de betume e raiva.

Já a gente, gostaríamos de dizer: não vamos deixar passar nenhuma revista ou busca! Se você souber de alguma, procure descobrir se as pessoas afetadas precisam de ajuda e perturbe os policiais que estiverem trabalhando. Na verdade, o melhor a fazer é: atacá-los! E é possível, tanto durante quanto depois.

Fonte: https://www.amwenglish.com/articles/attacks-on-police-in-solidarity-with-arrested-anti-fascist-lina-in-leipzig-germany/

Tradução > kai

agência de notícias anarquistas-ana

um atrás do outro
cactus florescem
enquanto a lua não vem

Nenpuku Sato




Fonte: Noticiasanarquistas.noblogs.org