181 visualizações

Nem a Rússia nem a OTAN! Pare a guerra na Ucrânia! Antimilitarismo em vez de rearmamento!

Demonstração | 09.04.2022 | 14h | U Unter den Linden (Berlim)

A guerra de agressão lançada pelo governo russo contra a Ucrânia já dura mais de um mês. Meios de subsistência estão sendo destruídos, civis estão sendo assassinados, feridos ou forçados a fugir.

Para levar as posições antimilitaristas às ruas, convocamos uma manifestação no sábado, 9 de abril, às 14h.

Com a guerra, a Rússia persegue objetivos geopolíticos e quer se afirmar como uma grande potência. A Ucrânia é de interesse tanto para a Rússia quanto para os países da OTAN como uma esfera de influência. Todas as potências imperialistas estão preocupadas apenas em sobreviver na competição e consolidar ou expandir suas áreas de dominação. Portanto, a resposta à guerra não pode ser o apelo à OTAN ou ainda mais armamento. Exigimos a deposição imediata das armas, a retirada de todas as tropas e o desarmamento de todas as grandes potências.

Solidariedade com os afetados, rotas seguras para refugiados e todos!

Como aliança, não estamos ao lado dessas grandes potências que lutam suas guerras nas costas do povo. Nossa solidariedade é com aqueles que sofrem com as guerras e com aqueles que vão às ruas contra elas. Apoiamos os protestos contra a guerra na Rússia, onde os manifestantes enfrentam dura repressão.

Apoiamos a criação de rotas de fuga seguras e o acolhimento de todas as pessoas que têm de fugir. Isso também se aplica a desertores e objetores de consciência que rejeitam matar pelos interesses dos que estão no poder. O mesmo se aplica às pessoas que, devido à discriminação estrutural nas fronteiras, e também aqui na Alemanha, são submetidas a assédio especial, são impedidas de entrar ou sair do país, estão morrendo e ou assassinadas nas fronteiras externas militarizadas da UE desde muitos anos. Isso afeta especialmente aqueles afetados pelo racismo e discriminação, como Indígenas, pessoas de cor, LGBT+. Além disso, mulheres e meninas são ainda mais confrontadas com a violência patriarcal como resultado da guerra.

Contra a Bundeswehr e a OTAN, contra entregas de armas!

Para acabar ou evitar guerras, a Bundeswehr [Forças Armadas unificadas da Alemanha] deve ser desarmado em vez de rearmado!

A Bundeswehr não foi “cortada até o osso”. Nos últimos sete anos, seu orçamento aumentou mais de 44%. Agora, um fundo especial adicional de 100.000.000.000 de euros deve ser disponibilizado e os gastos militares devem subir para 2% do PIB, levando a Alemanha do 7º para o 3º lugar em gastos globais com armas – o maior rearmamento desde o final da Segunda Guerra Mundial. Até os primeiros apelos à reintrodução do serviço militar obrigatório foram ouvidos nas últimas semanas. Ao mesmo tempo, diz-se que não há dinheiro para medidas contra as mudanças climáticas ou para uma política social que alivie a classe dependente do salário. Trabalhadores e os pobres são os mais atingidos pelos aumentos de preços e agora devem “congelar pela liberdade”.

Duas guerras mundiais mostraram para onde levam as ambições das grandes potências alemãs. Devemos nos opor resolutamente a isso aqui e agora!

No final, a indústria de armas é a principal beneficiária do rearmamento da Bundeswehr e da entrega de mais armas à Ucrânia. Durante anos, essa indústria vem aumentando seus imensos lucros e alimentando guerras em todo o mundo por meio de seu lobby – de todos os lados. As ações dos fabricantes de armas Rheinmetall, Hensoldt, Heckler & Koch e seus associados estão subindo vertiginosamente. A Alemanha é um dos maiores exportadores de armas e, junto com a OTAN, co-responsável por muitas catástrofes humanitárias – seja na Iugoslávia, no Iraque ou no Afeganistão. Essas armas não trazem nada para os civis nas zonas de guerra – exceto um prolongamento da guerra e um perigo ainda maior quando as armas acabam, por exemplo, com o batalhão fascista Azov, que atualmente treina fascistas alemães, entre outros os da III. Direção, no uso de armas. E os ataques da Rússia também são comandados por forças reacionárias, enquanto oprimem a população. Estas são guerras dos ricos e poderosos – e sofre a classe assalariada de todos os países.

O armamento adicional dos países da OTAN alimentará ainda mais a espiral de escalada militar. A OTAN é uma aliança de guerra e cobre 57% dos gastos militares do mundo, junto com seus estados cooperadores até 71%. Desde 1990, aumentou o número de seus estados membros de 16 para 30 e expandiu-se extremamente para a Europa Oriental. No processo, a OTAN colocou um grande número de tropas e material de guerra e, como a Rússia, realizou manobras militares continuamente. O governo russo também está travando guerras, por exemplo, na Chechênia e na Geórgia. O objetivo da OTAN e da Rússia é garantir seu domínio geoestratégico.

Contra a luta pelo lucro – por um mundo de solidariedade!

O rearmamento não cria a paz, mas impulsiona a escalada. As grandes potências estão expandindo sua influência militarmente em todo o mundo. Para este fim, a Alemanha e a UE não se coíbem de apoiar o rearmamento, não cria a paz, mas impulsiona a escalada. As grandes potências estão expandindo sua influência militarmente em todo o mundo. Para isso, a Alemanha e a UE não têm medo de apoiar regimes ditatoriais como o do Qatar e da Arábia Saudita ou a guerra da Turquia contra os curdos. Trata-se da aplicação dos interesses econômicos e políticos de várias facções e estados capitalistas – seja a Rússia, os EUA ou a UE. Por exemplo, o Acordo de Associação da UE foi sobre a abertura do mercado ucraniano para produtos ocidentais, quotas de exportação limitadas para bens ucranianos e privatização – não liberdade de movimento ou prosperidade para todos.

A sociedade capitalista com sua busca por mais lucro leva à competição por mercados de vendas e recursos. O capitalismo leva à guerra.

Por isso lutamos por uma sociedade sem classes e sem dominação, com solidariedade, na qual a produção seja orientada para as necessidades de todos. Por um mundo sem exploração e opressão. Por um mundo sem guerra.

Vamos juntos levar as posições antimilitaristas às ruas no dia 9 de abril.

Pare a morte de pessoas em todas as guerras! O principal inimigo está em nosso próprio país!

Parada imediata das entregas de armas!

Solidariedade com todos os refugiados!

Sem rearmamento – pare a produção de armas.

Pare o ataque da Rússia e todas as operações de combate – Retire todas as tropas russas! Retire todas as tropas da OTAN dos países que fazem fronteira com a Rússia!

Abolir a Bundeswehr e a OTAN!

Supere o capitalismo!

Mais Informações: https://nowarbutclasswar.noblogs.org/english/

Tradução > GTR@Leibowitz__

agência de notícias anarquistas-ana

Garimpa no brejo
material de construção
joão-de-barro obreiro.

Clície Pontes



on Twitter


on Facebook


on Google+




Fonte: Noticiasanarquistas.noblogs.org