Junho 7, 2021
Do Reporter Popular
381 visualizações


Do Repórter Popular – Baixada Fluminense

Na última quarta-feira (02/06) os acampados e acampadas do Campo de Refugiados Primeiro de Maio (Itaguaí) receberam do MST-RJ uma doação de mais de 260 mudas de nativas da Mata Atlântica e frutíferas, além de sementes crioulas. Algumas delas foram doadas pelo coletivo Hydras do Terra, do assentamento Terra Prometida (Baixada Fluminense).

Sementes crioulas também foram doadas pelo MST. Foto: Repórter Popular – Baixada Fluminense.

Esta ação de solidariedade vai ao encontro das demandas apontadas pelo acampamento de subir uma agrofloresta e produzir seu próprio alimento saudável, e que, com apoio da Teia dos Povos e apoiadores, são parte de um conjunto de propostas para a organização das famílias no espaço com base na agroecologia e preservação do meio ambiente. O que envolve desde a construção das moradias, utilizando processos como o pau-a-pique, até o devido encaminhamento do lixo produzido e dos dejetos com a montagem e utilização de banheiros secos.

Estas ações dialogam também com o 05 de maio, Dia do Meio Ambiente, em que mais do que nunca se faz necessário lutar contra a sanha dos capitalistas que querem privatizar as terras e os bens naturais. Defendendo as comunidades, as águas, florestas e sementes crioulas, e avançando para conquistar mais territórios auto-organizados pelo povo, em um projeto de vida digna onde caibam todos os povos.

Mudas. Foto: Repórter Popular – Baixada Fluminense.

Em tempos de Covid e crise sanitária, social e econômica quem sente na carne é a população mais pobre, com o desemprego, retirada de direitos e a política ultraliberal e genocida do governo Bolsonaro. Mas os de baixo passam por tudo isso resistindo e fortalecendo os laços de solidariedade e apoio mútuo. Defender o meio ambiente é lutar contra a fome e o genocídio bolsonarista.

Que subam mais agroflorestas!

Vacina para todas e todos!

Fora Bolsonaro!




Fonte: Reporterpopular.com.br