221 visualizações


A greve e os atos em defesa da educação no dia 15/05 mostrou que há força e disposição para fazer o governo Bolsonaro/Mourão recuar nos cortes e outros ataques contra a educação. Mas, para forçar um recuo é necessário ampliar e radicalizar a luta pela educação e também contra a reforma da previdência, voltando a paralisar e para as ruas massivamente no dia 30/05 e parando o país com uma greve geral a partir do dia 14/06.

É necessário fazer ocupações e assembleias em escolas, institutos e universidades com o objetivo de unir forças com trabalhadores de diversas categorias para preparar e fazer uma greve geral em defesa de uma educação pública e popular, contra a reforma da previdência e pelos direitos do povo até o governo recuar. E, a partir de então, formar comitês de resistência permanentes que responderão com força cada ameaça e ataque do governo.

Só com a ação combativa e direta dos trabalhadores/as e do povo conseguiremos impor derrotas ao governo Bolsonaro/Mourão e defender as nossas condições de vida e trabalho, que estão sendo atacadas desde governos anteriores e no atual para favorecer uma minoria rica e poderosa. Só assim poderemos avançar rumo a uma alternativa revolucionária de poder popular.

Venha para o ato pela educação que acontecerá na cidade de São Paulo, 30/05, a partir das 16h, no Largo da Batata.

Apoie o bloco autônomo de estudantes secundaristas:

https://www.fb.com/events/2317020908587017/

Não à reforma da previdência!
Por uma educação pública e a serviço do povo!
Greve Geral pelos direitos do povo!




Fonte: Fobsp.noblogs.org