Novembro 19, 2020
Do LIGA-RJ
180 visualizações


Santiago Boaventura

Educador Ambiental impactado pela poluição da costa nordestina na divisa Bahia-Sergipe.

Tonel da Shell encontrado poluindo praia do Nordeste

Somamos 48 dias que o petróleo polui o Atlântico em alto mar e toda a costa da Região Nordeste do Brasil.

A morte de corais, fauna e flora marinhas já é aterrorizante. A foz de Rios em Sergipe, Bahia e Pernambuco foi atingida e os mangues que são os berçarios naturais de centenas de espécies começa a morrer. A pesca, feita em geral de forma artesanal está parada pois os peixes e crustáceos estão contaminados ou mortos pelo petróleo.

Tragédia? Não! Repito que é já 48 dias de poluição de toda a costa do Nordeste Brasileiro. O governo Bolsonaro e o seu ministro de meio ambiente, o Sales, não ativaram plano de contenção federal existente ou ofereceram qualquer outra opção. A paralisia de setores civis do Estado: Presidência da República, Ministério do Meio Ambiente, IBAMA, ICMBIO, Agência Nacional de Águas, Ministério da Agricultura e órgãos militares Marinha, Aeronáutica, Exército não é por falta de recursos ou informações – a investigação é algo lento e desinteressado -.

Hoje notícias dão conta de que a poluição avançou à aproximadamente 190 pontos incluindo, praias, mangues, foz de rios, rios atingidos. Pescadores do arquipélago de ilhas da Baía de Todos os Santos, Estado da Bahia, identificaram aproximação de nova mancha de óleo chegando a Ilha de Itaparica. Entre estas ocorrências já se registram 12 unidades de preservação da vida marinha e terrestre. As pessoas comuns tentam sem sucesso limpar as praias quais dia a dia amanhecem poluídas de petróleo chegado de alto mar.  A Petrobras, que ainda pertence ao povo brasileiro, é a única assessorando e apoiando as ações com recursos humanos e equipamentos, o sindicato dos petroleiros em na região nordeste convocou seus filiados para limpeza das praias este fim de semana (19 e 20/10).  A revolta da população e sua indignação ainda não se tornaram manifestações públicas e ações sociais cobrando a devida atenção das autoridades omissas.

Foram retiradas apenas pela Petrobras 200 toneladas de petróleo das praias da costa nordeste. Some-se aí aproximadamente 400 toneladas retiradas pelos órgãos municipais e estaduais. A situação está deixando de ser dramática para se concretizar como o maior vazamento de petróleo já visto no Atlântico Sul. Devemos ainda considerar que no alto mar a poluição seja de proporções absurdas e suas consequências até o momento desconhecidas. O governo Brasileiro contribui desta maneira para a poluição do bem mais precioso da humanidade que gera praticamente a maior parte de oxigênio no planeta e mantém a maior diversidade de seres no planeta. É uma completa devastação que exige ação planetária.

Navios, Aviões, helicópteros e todos os recursos humanos disponíveis pelo governo Bolsonaro estão sendo sonegados na solução do problema, na mitigação da poluição e no impedimento e recolha do petróleo poluente em alto mar. A omissão deste governo é criminosa como foi antes nas queimadas da Amazônia e agora na poluição da Costa Sul do Atlântico Nordeste do Brasil. Toneis da empresa Shell encontrados são escondidos, contrabando de petróleo impedido por embargos comerciais na guerra capitalista dão lucros absurdos e são escondidos. Responsáveis pelo crime ou algo ainda pior? Estaria o Brasil contrabandeando petróleo? Para quem, por que?

Não se deixem enganar. Agora é o momento do governo agir com todos os recursos nacionais e apoio internacional para impedir o vazamento ou o petróleo vazado em alto mar, recolher esse petróleo, impedir de chegar a costa Nordestina Brasileira e recolher a poluição que aqui já chegou. A investigação deve seguir até encontrar responsáveis. Se é que estes serão encontrados!

Devemos iniciar manifestações públicas nas ruas dos povoados às grandes cidades exigindo providências. As organizações civis nacionais e internacionais têm a responsabilidade de dispor recursos humanos e equipamentos para impedir uma destruição maior. Nós dos movimentos sociais devemos agir na limpeza dessa sujeira largada por este governo ecocida.

Necessitamos nos mobilizar solidariamente em apoio aos povos ribeirinhos afetados pela ruptura de barragens em Minas e seus impactados, oferecer apoio ao povos da floresta amazônica, da costa atlântica nordestina para a limpeza do litoral que tanto é vital para todo nós brasileiros como para o planeta.

Não há salvadores!

Desligue o noticiário, saia das redes sociais.

Não temos outra opção que lutar.

Lutemos, defendamos a vida marinha e terrestre.

Tartaruga morta por mancha de petróleo no Nordeste Brasileiro.



Fonte: Ligarj.wordpress.com