Janeiro 25, 2021
Do Reporter Popular
189 visualizações


O município de Cáceres (220km de Cuiabá) está na tentativa de começar o processo de Redimensionamento das Redes Estadual e Municipal de Educação. A maior movimentação começou quando o Governador Mauro Mendes, no dia 24 de novembro de 2020, assinou o Decreto nº 723, que estabelece prazos para que os municípios se organizem.

Em Cáceres foi ordenado, extraoficialmente pela Assessora Pedagógica Eliane, que nenhuma Escola Estadual matriculasse alunos do 1º Ano do Ensino Fundamental (estudantes a partir de 6 anos de idade), independentemente da realidade de cada localidade, o que vem gerando revolta nos bairros onde as famílias terão que se locomover muito mais para talvez matricular seus filhos.

“Aqui na cidade é normal a Assessora criar ordens sem pensar em nada e em ninguém. Nas atribuições, por exemplo, sempre trata com arrogância. Esconde vagas para tentar forçar as pessoas irem para zona rural.” – Disse um professor que não quis ter seu nome revelado por medo de retaliação.

No dia 21/01/2021 a SME Cáceres realizou uma reunião com a representante da Seduc-MT, Assessora Eliane, que iria decidir a portas fechadas o destino de aproximadamente 900 famílias que dependem da educação pública. Todo o processo de redimensionamento está sendo sem qualquer respeito as necessidades locais e reais das famílias. Sem qualquer participação social e popular!

Famílias que muitas vezes não possuem sequer uma bicicleta, terão que andar 01, 02 até 03 Km. Famílias que muitas vezes os filhos mais velhos já auxiliam buscando seus irmãos, não poderão estudar mais próximos. Para piorar a situação, começou rumores de que a Escola Estadual Dr. Leopoldo Ambrósio, reformada no ano de 2020, com aproximadamente 400 alunos, havia sido solicitada pela Prefeitura de Cáceres.

A comunidade e moradores locais já demonstram muita insatisfação e começam a se organizar, mesmo correndo riscos em plena pandemia, para defender essa Escola que é um patrimônio local!

“Não aguentamos mais sermos tratados como cachorros, acham que podem tocar a gente pra lá e pra cá, sem perguntar. Sem ouvir a comunidade, o povo. As pessoas querem mudar e decidir a vida das pessoas de dentro do ar condicionado, usando exemplo de pais que tem condições melhores. Tem que olhar os mais necessitados. Me dá nojo desse tipo de gente.” – Narra um pai e morador local.

Para tentar solucionar esse impasse, a Prefeitura de Cáceres comunicou em imprensa local que será convocada urgentemente uma reunião com a representação de pais, moradores, Sindicato e outras representações sociais para buscar uma solução coletiva. Até hoje, 25/01/2021, não tivemos informações sobre as próximas reuniões, que não devem mais ocorrer secretamente. É o que a população espera!




Fonte: Reporterpopular.com.br