Fevereiro 10, 2021
Do Jornal Mapa
351 visualizações


Em Dezembro passado, na edição online do Jornal Mapa demos conta da recusa da justiça francesa em extraditar Vincenzo Vechhi para Itália e do posterior recurso sobre essa recusa por parte do procurador de Angers.

No passado dia 26 de Janeiro, o Supremo Tribunal de Justiça (cour de cassation) rejeitou o recurso do procurador, validando assim o facto de a defesa ter, desde o início, colocado questões pertinentes e legítimas, como havia já sido confirmado pelos Tribunais da Relação (cours d’appel) de Rennes e Angers.

Por outro lado, acabou por solicitar ajuda ao Tribunal de Justiça da União Europeia por causa da complexidade jurídica do caso e adiou a sentença definitiva, que está agora marcada para uma audiência a decorrer no dia 22 de Junho.

Em reacção, o Comité de Apoio a Vincenzo Vecchi afirma que «ainda que este assunto apaixone a justiça, esta decisão é novamente inviável a nível humano para o Vincenzo. Para além do mais, implica tempo, dinheiro, empenho (advogados, audiências, deslocações, …) para o comité de apoio.» Para Vincenzo Vecchi, que continua a ver a sua vida em suspenso, as consequências são ainda piores. «Esta demora é insuportável e a justiça francesa tinha todos os elementos para anular este mandado de detenção europeu», conclui o comité.

O folhetim nas páginas do MAPA

As revoluções não se fazem com ramos de flores

Liberdade para Vincenzo

Justiça francesa recusa extraditar Vicenzo Vechhi




Fonte: Jornalmapa.pt