173 visualizações

Na sexta-feira, 25/02, pela tarde, o Ministro do Interior, Makis Voridis (antigo membro de uma organização fascista), estava a ponto de participar de um evento do partido no poder em nossa cidade, Messolonghi (Grécia Ocidental). Um pequeno grupo de anarquistas e antifascistas parou espontaneamente na passarela próxima da cafeteria onde se realizaria o evento como fim de expressar nossa “hospitalidade” a ele e a seus amigos. Não passou muito tempo para que chegasse a polícia, bloqueando o caminho para a cafeteria e tratando de manter longe a multidão reunida (membros do partido, congressistas, prefeitos). Durante umas 2 horas paramos próximo do café gritando lemas antifascistas, enquanto que também os transeuntes (estudantes, trabalhadores) se uniram à manifestação contra o bloco de policiais vaiando, atirando laranjas e garrafas.

A poucos minutos do final do evento, chegaram reforços à polícia, nos rodearam e atacaram para nos tirar da passarela. Em meio do conflito seguinte de homem a homem, um policial ferido na cabeça e a maioria das pessoas espalhadas em volta.

Posteriormente, a polícia deteve 10 pessoas enquanto registrava outra, que foi o culpado da lesão do policial (foi detido dois dias depois). Finalmente 7 pessoas imputadas por faltas e 2 por delitos graves relacionados à lesão. Cada um dos 2 últimos companheiros mencionados tem que pagar 3.000€ de fiança para evitar a custódia e se apresentar à delegacia local 3 vezes por mês. Interpuseram-se recursos contra as fianças e agora estamos à espera da decisão do conselho da corte em um tempo indeterminado.

“Contra o controle” (antielegxou) é um contínuo esforço de luta de anarquistas e antifascistas nas ruas e praças contra o Estado, os fascistas e qualquer forma de autoridade desde 2017. Não cremos que possuamos a receita perfeita para a destruição deste explorador e opressivo mundo, mas isto não impede que sigamos avançando para um mundo de liberdade, solidariedade e auto-organização. Desde a pequena cidade de Messolonghi a todos os rincões da terra o ponto é: nunca te detenhas. A repressão do Estado tenta nos derrubar, nos aterrorizar, quanto mais cravamos nossos calcanhares. Nunca te rendas. Há que se pôr de pé.

Solidariedade com os companheiros perseguidos. A luta continua contra o Estado e qualquer forma de autoridade.

Apoio econômico em: https://www.firefund.net/messolonghisolidarity

Tradução > Sol de Abril

agência de notícias anarquistas-ana

um ponto vem do horizonte,
vira pássaro, desce e pousa;
a árvore o repousa.

Alaor Chaves



on Twitter


on Facebook


on Google+




Fonte: Noticiasanarquistas.noblogs.org