Março 18, 2021
Do Agencia De Noticias Anarquistas
190 visualizações


Este 18 de março Solidaridad Obrera del Bio convida às ruas, para juntar-se ao chamado, pois ainda faltam os presos e sobram os milicos.

Desde o estabelecimento da República do Chile independente, nascida dos oligarcas espanhóis que se apoderaram da terra e de seus frutos, utilizando como carne de canhão batalhões de negros, crianças e pessoas pobres do campo e da cidade. O Estado tem mantido uma repressão contra aqueles que tentaram organizar suas vidas, experiências de repúblicas independentes que temos no norte do território e em áreas de fronteira com o povo Mapuche, como foi o caso de Hualqui. Todas essas experiências foram esmagadas pelo centralismo e pela concepção moderna de um Estado nacional ÚNICO.

Assim, o Chile dos oligarcas espalhou-se para o sul, destruindo as comunidades Mapuches e de mestiços que compartilham o mesmo território.

Foi isto que deu início aos gestos emancipatórios de Bilbao e Arco, da sociedade de igualdade, das Sociedades de Resistência, das sociedades mútuas, dos sindicatos e hoje, com as organizações sociais que nascem no calor da luta contra a expansão oligárquica nacional e internacional: silvicultura, abacate, mineração, pesca e tantas atividades monopolizadas pelo grande capital e defendidas desde o Estado pelas forças repressivas.

Após um longo processo desde o V Centenário em 1992, o povo Mapuche iniciou um processo de recuperação da cultura e da terra, antagonizando muitas dessas empresas extrativistas e turísticas que veem seus negócios ameaçados pela expansão da luta territorial Mapuche.

Da mesma forma, nós, o povo mestiço, também nos levantamos contra a expansão da miséria corporativa, organizando a raiva e respondendo aos golpes repressivos com organização. Hoje, muitos dos combatentes que levantaram a voz e tomaram medidas estão na prisão.

Nós, como povo mestiço, já dissemos o suficiente, e nos colocamos em movimento, porque não podemos continuar a suportar como o Chile oligárquico expande mais uma vez seu poder através da militarização, não apenas do Wallmapu, mas de todo o território com a desculpa de proteger a saúde pública.

18 de outubro tem sido o momento de expressão dos sem voz, portanto, chamamos a se juntar a nós para levantar nossa voz através da ação neste 18 de março exigindo o fim da militarização de nossos territórios e pedir na rua as mudanças que não estão sendo feitas nos corredores do Congresso.

FIM A MILITARIZAÇÃO DO WALLMAPU E DE TODOS OS TERRITÓRIOS

FIM DO TOQUE DE RECOLHER

LIBERDADE PARA OS PRISIONEIROS DA REVOLTA

Solidaridad Obrera del Bio

Tradução > Liberto

agência de notícias anarquistas-ana

De que vinhas
vinham aquelas engarrafadas
paixões que me aniquilam?

Rogério Viana




Fonte: Noticiasanarquistas.noblogs.org