Dezembro 30, 2020
Do Agencia De Noticias Anarquistas
393 visualizações


Caros camaradas,

Desde a revolta do povo chileno contra o aumento dos preços das passagens de metrô, serviços de transporte e políticas neoliberais do governo chileno, em que mais de 11.300 pessoas foram detidas, e 2.500 delas estão na prisão, muitas delas com investigações ocorrendo, mas ainda nenhuma sentença, o que significa que estão em prisão preventiva. Assumimos que as prisões tenham sido feitas com o objetivo de reprimir e tornar ilegais esses protestos.

Presos que se encontram nas prisões chilenas desde 18 de outubro de 2019, estão privados de liberdade por terem sido acusados de quebrar uma barreira do metrô (que fica na entrada do metrô), também por causa de acusações dos Carabineros (polícia chilena), como incêndios, agressões a policiais, saques, barricadas, incêndios de igrejas e agências bancárias, etc.

Muitas dessas denúncias foram desmoronando por falta de provas ou porque puderam provar que eram falsas. Portanto, a sociedade em geral vê esses processos como uma vingança do Estado contra o levante das pessoas em retaliação à elite dominante.

Desde os primeiros dias de dezembro, houve a criação de uma campanha, um chamado pela liberdade dos presos, daqueles que foram detidos nos motins. Tem-se pressionado parlamentares, ministros e o próprio governo para acabar com a detenção antes da condenação, para que essas pessoas possam cumprir prisão domiciliar durante o período de investigação, já que é isso que o fizeram com os Carabineros acusados de violações de direitos humanos, incluindo ferimentos graves contra manifestantes, tortura e/ou homicídios, e apenas um pequeno número deles permanece em prisão preventiva na sede da polícia.

Fazemos um apelo a todos os anarquistas do planeta para que se juntem a esta campanha, enviando cartas ao governo chileno por meio de suas embaixadas e consulados, exigindo a libertação imediata dos manifestantes do levante chileno. Gostaríamos também de perguntar a quem tem a possibilidade de fazer demonstrações, para fazê-las diante de embaixadas, consulados e empresas chilenas.

A SOLIDARIEDADE É A ÚNICA ARMA DOS TRABALHADORES E DAS PESSOAS OPRIMIDAS CONTRA O ESTADO E O CAPITAL.

Grupo Anarquista Germinal (Amigos da AIT)
Assembleia Anarquista de Bio Bio

Fonte: https://iwa-ait.org/content/freedom-chilean-prisoners

Tradução > A. Padalecki

agência de notícias anarquistas-ana

Cai a pedra n’água
partindo o espelho do rio:
as nuvens se esvaem.

Ronaldo Bomfim




Fonte: Noticiasanarquistas.noblogs.org