Julho 23, 2021
Do Agencia De Noticias Anarquistas
206 visualizações


Para a Sra. Luisa Toledo. Palavras de Francisco Solar, desde a prisão de segurança máxima em Rancagua

Tive a oportunidade de falar poucas vezes com ela, no entanto tive a sorte e a enriquecedora possibilidade de escutá-la em inumeráveis ocasiões.

Creio que em nenhuma dessas oportunidades fiquei indiferente. A potência de suas palavras e de seus gestos, a intensidade que imprimia a cada uma de suas propostas e discursos me motivou enormemente e continuam fazendo-o. As recordo neste confinamento e ainda me arrepiam os pelos.

Que sorte a que tivemos todos nós de ter podido coincidir na vida com uma pessoa como a Sra. Luisa!

Outra coisa que nunca deixou de me impressionar foi seu permanente interesse por atualizar-se, por saber o que estava se discutindo e propondo, e por saber quais eram as motivações das novas gerações de jovens combatentes. Isto a manteve plenamente vigente. A manteve na luta rechaçando qualquer assento de honra desde onde muitos se sentam com o poder de dirigir e deslegitimar as novas experiências. A Sra. Luisa é inseparável da luta porque ela mesma é uma expressão de luta.

Na vez que fui para sua casa convidá-la para o lançamento de um livro – que foi uma das poucas vezes que conversei com ela- já estava enferma e muito débil, mas apesar disso falamos por longo tempo, perguntando-me, com um interesse que me surpreendeu, cada detalhe de nossa experiência de prisão na Espanha, o que fala e reafirma sua preocupação por cada acontecimento novo, em especial pela situação dos presos, realidade que viveu diretamente com o encarceramento por vários anos de sua neta [Tamara] Sol.

Inteirei-me pela televisão de sua morte e aí se falava do triste falecimento de “Luisa Toledo, ativista e defensora dos direitos humanos”, tratando evidentemente de ocultar o que ela era realmente e o incômodo que significou e significará para o poder. A Sra. Luisa foi uma reivindicadora e incentivadora da violência política, afirmando permanentemente, de forma explícita, a necessidade urgente de dotar de maior contundência os ataques. De ir mais além, de levar a cabo a vingança contra os que ela chamava: “os assassinos e exploradores do povo”, pelo que a denominação de “defensora dos direitos humanos” creio que fica pequena (para dizer pouco) servindo só aos que se utilizam da luta e dos mortos.

Por último, mando um afetuoso abraço a todos os seus próximos e familiares, em especial a Don Manuel e a Ana.

Só morre quem é esquecido!

Francisco Solar D.

C.P Rancagua.

Fonte: https://buscandolakalle.wordpress.com/2021/07/19/palabras-del-companero-anarquista-francisco-solar-en-memoria-de-luisa-toledo-sepulveda/

Tradução > Sol de Abril

Conteúdos relacionados:

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2021/07/14/relembrar-luisa-toledo-sepulveda-mae-da-juventude-combatente-do-chile/

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2021/07/10/chile-santiago-luisa-ja-se-foi-e-a-melhor-homenagem-e-continuar-a-luta-de-rua-e-frontal-contra-este-sistema-de-fome/

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2021/07/07/chile-comunicado-companheira-luisa-toledo-sepulveda-presente/

agência de notícias anarquistas-ana

As campânulas
Se espalham pelo terreno —
Casa abandonada.

Shiki



on Twitter


on Facebook


on Google+




Fonte: Noticiasanarquistas.noblogs.org