Fevereiro 15, 2022
Do Agencia De Noticias Anarquistas
297 visualizações

Um ano se passou desde o assassinato da companheira Emilia Bau, que foi morta por assassinos contratados enviados pelos donos do condomínio de Riñimapu para proteger seus miseráveis interesses. Embora, por um lado, o condomínio tenha tentado justificar o assassinato, apontando que ela fazia parte de uma “máfia” violenta e, por outro, a imprensa cobriu o evento com um manto pré-fabricado de mistério, sabemos que Emilia Bau estava lá acompanhando um processo de recuperação territorial.

Não podemos, nem estamos interessados em ficar indiferentes ao fato de que a companheira se levantou em rebelião contra múltiplas formas de controle, o que a levou a se envolver materialmente em diferentes iniciativas de seu coração anárquico. E assim como as resistências de Bau eram muitas, como antiautoritários queremos nos juntar de nossas trincheiras no primeiro aniversário de sua morte com um evento noturno: Recordando Emilia Bau, presente na ação, ao qual convidamos abertamente a se encontrar em torno da memória da companheira.

Teremos música ao vivo, a apresentação do livro “Acendendo a Chama do Ambientalismo Revolucionário”, exibições, pastelaria vegana e infusões e, como sempre, uma mesa de propaganda antiautoritária (traga a sua!).

Quarta-feira, 16 de fevereiro, a partir das 19:00 hrs.

Companheira Emilia Bau Presente.

Nossa memória é negra, nosso coração também.

Tradução > Liberto

Conteúdos relacionados:

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2021/04/22/argentina-buenos-aires-acao-a-2-meses-do-assassinato-de-emilia-baucis-herrera/

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2021/02/18/chile-assassinato-de-lamgnen-anarquica-no-territorio-mapuche-lof-llazcawe/

agência de notícias anarquistas-ana

Brilho da lua se move para oeste
a sombra das flores
caminha para leste.

Buson



on Twitter


on Facebook


on Google+




Fonte: Noticiasanarquistas.noblogs.org