272 visualizações


O monumento estava instalado na praça da Universidade de Rosário, a três quarteirões da Casa de Nariño.

Indígenas da comunidade Misak derrubaram uma estátua do fundador de Bogotá, Gonzalo Jiménez de Quesada, na capital do país.

O monumento estava instalado na praça da Universidade de Rosário, a apenas três quarteirões da Casa de Nariño.

O fato foi registrado em fotos e vídeos, nos quais os indígenas podem ser vistos gritando slogans a favor da greve nacional que está ocorrendo no país.

“Viva a greve nacional”. “Viva o movimento das autoridades indígenas da Colômbia”, gritaram eles.

Além disso, disseram que, a partir deste momento, o país tem menos uma estátua de um conquistador.

“O que acabamos de fazer, junto com as mulheres mestiças de Bacatá, o movimento das autoridades indígenas do sudoeste, é uma limpeza, uma cura espiritual, derrubando este assassino e estuprador em massa número um aqui em Bogotá”, disse um dos manifestantes à imprensa local.

Esta não é a primeira vez que os povos indígenas derrubam uma estátua no país. Em 28 de abril, no início da greve nacional, eles derrubaram a estátua de Sebastián de Belalcázar em Cali.

Naquele dia, o líder indígena Pedro Velasco, governador da comunidade Misak, disse que estes monumentos são um ataque à memória histórica de sua comunidade.

“Nós a derrubamos porque a colonização do poder, nem em Cauca nem em Valle del Cauca, deveria continuar a existir contra a memória histórica dos 116 povos indígenas na Colômbia”, disse ele.

Conteúdos relacionados:

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2021/05/07/espanha-consulado-da-colombia-em-barcelona-amanhece-pichado/

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2021/05/06/manifestacao-global-nas-embaixadas-e-consulados-da-colombia-07-de-maio/

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2021/05/05/colombia-brutalidade-policial/

agência de notícias anarquistas-ana

Na tarde sem sol
folhas secas projetando
sombras em minh’alma.

Teruko Oda




Fonte: Noticiasanarquistas.noblogs.org