270 visualizações


Uma reportagem investigativa da BBC revelou que um suspeito de crime de guerra nazista, que fixou residência no Reino Unido, pode ter trabalhado para os serviços de inteligência britânicos durante a Guerra Fria.

Antes de sua morte ocorrer, oficiais alemães estavam investigando Stanislaw Chrzanowski pelo assassinato de judeus durante a 2ª Guerra Mundial em Belarus.

O homem já havia sido interrogado pela polícia britânica, mas nunca fora acusado de nenhum crime.

Agora Chrzanowski, que se gabava diante de seu enteado de que tinha “um segredo inglês”, apareceu em registros de filmes feitos em Berlim na década de 1950.

E lideranças judaicas estão pedindo que uma investigação seja aberta para descobrir se Chrzanowski – e outros como ele – não foram acusados de crimes de guerra porque atuaram como espiões do governo do Reino Unido.

Por mais de 60 anos, John Kingston suspeitou que seu padrasto tinha sido mais do que apenas um segurança do prédio do governo municipal em sua cidade natal no Leste Europeu durante a 2ª Guerra Mundial.

Tanto que ele tinha certeza de que Stanislaw “Stan” Chrzanowski havia sido um criminoso de guerra nazista que conseguiu escapar da justiça.

E em várias ocasiões tentou persuadir as autoridades britânicas a investigá-lo. Mas não teve êxito.

Kingston conseguiu reunir uma grande quantidade de evidências – fotos, documentos e conversas telefônicas secretas – que por mais de 20 anos foram armazenadas em seu sótão.

Conheci Kingston em 2016 e, assim, comecei minha própria investigação de Chrzanowski e suas atividades durante a guerra.

Mas só quando Kingston morreu – e todo o material que ele havia armazenado no sótão foi entregue a mim – surgiram novas evidências para explicar por que Chrzanowski nunca fora levado à justiça.

>> Para ler o texto na íntegra, clique aqui:

https://www.bbc.com/portuguese/geral-57051082

agência de notícias anarquistas-ana

Apito de fábrica
A poluição é o tempero
da marmita fria.

Teruko Oda




Fonte: Noticiasanarquistas.noblogs.org