Novembro 25, 2020
Do Coordenacao Anarquista Brasileira
459 visualizações


A cada nove horas, uma mulher é vítima de feminicídio no país desde março, quando teve início a pandemia. Boa parte dos estados não registra a cor ou orientação sexual das vítimas, o que invisibiliza ainda mais a violência. De qualquer forma, o que as estatísticas mostram é que as mulheres seguem sendo agredidas, violentadas e assassinadas, em uma sociedade profundamente marcada pelo patriarcado, pelo racismo e pelo classismo.

A data foi instituída em homenagem às irmãs Minerva, Patrícia e Maria Teresa Mirabal, da República Dominicana, assassinadas em 25 de novembro de 1960 pela polícia secreta durante o regime do ditador Rafael Leonidas Trujillo. As Mariposas, como eram conhecidas, tinham uma trajetória de militância e resistência contra o regime autoritário. Tiveram seu veículo interceptado, sendo assassinadas e jogadas em um barranco, para parecer que haviam sofrido um acidente. Desde 1981 este dia tornou-se marca da luta das mulheres latino-americanas contra as violências que nos acometem.

Neste 25 de novembro, nós, mulheres da CAB, trazemos uma série de poemas para puxar a reflexão sobre a data, e a necessidade de todas e todos combatermos as violências machistas e a estrutura patriarcal, na construção do Poder Popular e de uma Vida Digna.




Fonte: Cabanarquista.org