Fevereiro 3, 2021
Do Agencia De Noticias Anarquistas
236 visualizações


A CNT registra o pedido de greve no Consórcio para 18 de fevereiro e todas as quintas-feiras indefinidamente. O anúncio é tornado público em 28 de janeiro na concentração de protestos às portas dos serviços centrais do Consórcio em Compostela. O pessoal temporário em situação de fraude reivindica estabilidade em seus empregos e a paralisia da OPE que pode levar ao seu desligamento. O pessoal temporário do Consórcio afiliado à CNT decidiu em assembleia por grande maioria convocar uma greve para defender seus empregos após o anúncio da oferta de emprego público da Xunta em dezembro passado.

Após ter sido solicitada em várias ocasiões reuniões com os responsáveis da Xunta de Galicia: a Direção Xeral da Función Publica e a Xerencia del Consorcio Galego de Servizos de Igualdade e Benestar sem qualquer resposta da Administração, a única saída deixada pelos políticos responsáveis por esta situação é convocar uma greve.

Este 28 de janeiro, o anúncio público da greve foi feito na manifestação de protesto organizada às portas dos serviços centrais do consórcio Galego de Servizos de Igualdade e Benestar em Compsotela, que apesar das restrições teve uma participação significativa.

Na concentração, houve um forte apelo para participar da greve para defender os empregos do pessoal temporário em fraude à lei e abuso de temporalidade, e para paralisar a OPE 2020 enquanto não for oferecida uma solução ao pessoal do Consórcio para garantir que todo o pessoal atualmente trabalhando no Consórcio permaneça estável em seus empregos.

Durante uma hora os trabalhadores concentrados gritaram slogans como: “Aqueles que estão aqui, aqui ficarão”, “Trabalho fixo já”, “Feijóo escuta, o Consórcio em luta” ou “Não ao ERE para as mulheres”, referindo-se, neste último caso, à discriminação óbvia baseada no sexo que ocorreria se o plano da Xunta fosse executado.

A anunciada greve é feita para todo o pessoal das creches da Galiña azul, centros de dia, residenciais e todos os locais de trabalho da rede do Consórcio, incluindo o pessoal dos serviços centrais.

O chamado à greve da CNT começará em 18 de fevereiro com uma greve de 24 horas e continuará todas as quintas-feiras com paradas de 3 horas, entre 8h e 11h.

Os trabalhadores estão conscientes do impacto e dos inconvenientes que podem causar aos usuários dos serviços públicos do Consórcio, aos quais se pede compreensão a fim de defender seus empregos e o serviço público.

Com este chamado à greve, o pessoal do Consórcio está na vanguarda das reivindicações dos funcionários públicos temporários em fraude de lei e abuso de temporalidade em todo o Estado, em um momento crucial para o futuro de dezenas de milhares de trabalhadores do serviço público que vivem momentos de incerteza devido à ameaça de demissão após muitos anos de serviço ao público e sofrem as ilegalidades levadas a cabo pela administração. A próxima mobilização do pessoal público temporário será a caravana de carros que está programada para o domingo 31 de janeiro às 11 horas com a saída do Palácio de Congressos de Compostela e que, após um tour pela cidade, terminará na sede da RTVG em San Marcos (Compostela).

Fonte: https://www.cnt.es/noticias/la-cnt-convoca-huelga-en-el-consorcio-galego-de-servizos-de-igualdade-e-benestar/

Tradução > Liberto

agência de notícias anarquistas-ana

Fumaças vermelhas
da tempestade de pó
devoram o sol.

H. Masuda Goga




Fonte: Noticiasanarquistas.noblogs.org