Abril 12, 2022
Do Agencia De Noticias Anarquistas
203 visualizações

Sinopse

A extrema-direita espanhola começou a se parecer um pouco mais com a europeia quando morreu o ditador Francisco Franco. A transição esteve marcada pela violência dos grupos parapoliciais e do terrorismo de Estado, mas logo chegaram as bandas de skinheads neonazistas, os ultras do futebol e, pouco a pouco, as novas formações da ultradireita e os movimentos sociais neofascistas. A geração que cresceu depois da transição deu a resposta – a partir de distintos âmbitos e com táticas diversas – a uma nova ultradireita que exercia a violência de uma maneira brutal contra diferentes coletivos, e que progressivamente tratou de ocupar um espaço nas instituições. Ramos repassa as diversas lutas contra a nova extrema-direita que surgiu na Espanha desde meados dos anos 80 até a atualidade, com testemunhos de seus protagonistas e crônicas jornalísticas e políticas de cada momento: como se organizaram as distintas plataformas e coletivos que passariam da autodefesa inicial à ofensiva contra os grupos de extrema-direita; que papel tiveram o jornalismo, a cultura, a música, as instituições e outros movimentos sociais; e a pluralidade da luta antifascista, suas alianças, seus debates e algumas de suas vitórias. Mas também como uma parte do movimento antifascista combateu solitariamente, assumiu os riscos, sofreu a violência dos neonazis, a perseguição policial e judicial, bem como a criminalização dos meios de comunicação.

Antifascistas

Así se combatió a la extrema derecha española desde los años 90

Miquel Ramos

ISBN: 978-84-124578-0-3

Preço: 25 €

Páginas: 632

Tamanho: 14×22 cm

capitanswing.com

Tradução > Erico Liberatti

agência de notícias anarquistas-ana

Por este caminho,
Ninguém mais passa —
Tarde de outono.

Bashô



on Twitter


on Facebook


on Google+




Fonte: Noticiasanarquistas.noblogs.org