Dezembro 18, 2020
Do Agencia De Noticias Anarquistas
267 visualizações


Hoje, 13 de dezembro, dia do nascimento de Lucia, vê a luz após 83 anos de sua publicação, a reedição do “Romancero de Mujeres Libres”, o único livro publicado em vida por Lucia Sanchez Saornil. Lucía Sánchez Saornil (Madri, 13 de dezembro de 1896 – Valência, 2 de junho de 1970).

Apresentar esta reedição do Romancero Mujeres Libres de Lucía Sánchez Saornil é uma verdadeira honra, já que estamos tratando de poemas de extraordinária altura poética, de inquestionável valor literário, versos que exalam o sopro mais essencial de uma mulher excepcional, singular como poetisa, jornalista, escritora, livre-pensadora e como anarquista feminista militante, pioneira de um humanismo integral que abraça mulheres e homens em igualdade para construir uma nova sociedade mais justa e humana, como Antonia Fontanillas Borrás e Pau Martínez Muñoz nos lembram em seu livro de 2014 Lucía Sánchez Saornil. Poeta, jornalista e fundadora de Mujeres Libres

A lágrima, a rebelião, a dor, a esperança, a epopeia, a força revolucionária… atingem sua máxima força expressiva nestes romances sublimes, pouco conhecidos e valorizados por ser mulher e anarcofeminista.

A escolha do romance como uma composição métrica com uma forte tradição épica e medieval não é por acaso, como Laura Vicente aponta em seu recente livro A Revolução das Palavras, de 2020. A revista Mujeres Libres (Mulheres Livres), responde ao desejo expresso de Lucía de encobrir e exaltar as vidas e os feitos heroicos e lendários de homens e mulheres que defenderam a liberdade e a justiça social com suas vidas contra a irracionalidade do fascismo.

Romances para cantar o amor, a lealdade, os ideais, a liberdade, o ser humano que sofre mas não se rende… essa é a lição magistral, cheia de sentimento e beleza, que Lucía nos dá neste romance. Todos estes sentimentos e emoções foram magistralmente capturados nas ilustrações originais que a militante anarcossindicalista Nuria Negro tem feito para cada um dos romances.

O 50º aniversário da morte de Lucía Sánchez Saornil se deu em 2 de junho de 2020, mas não foi possível comemorá-lo por causa da pandemia causada pelo Covid-19. Que este Romancero de Mujeres Libres sirva para lembrá-la sempre.

>> Vídeo (04:40):

https://www.youtube.com/watch?v=xZyBOYVEbbA&feature=emb_title

Fonte: http://rojoynegro.info/articulo/romancero-mujeres-libres-luc%C3%ADa-s%C3%A1nchez-saornil

Tradução > Liberto

Conteúdos relacionados:

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2020/09/30/espanha-lancamento-lucia-sanchez-saornil-corcel-de-fuego/

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2018/09/19/espanha-mujeres-libres-as-anarcofeministas-que-franco-nao-conseguiu-dobrar/

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2018/03/31/espanha-mujeres-libres-as-anarquistas-que-colocaram-em-pratica-a-igualdade-real-em-tempos-de-guerra/

agência de notícias anarquistas-ana

Parou de chover:
No ar lavado, as árvores
Parecem mais verdes.

Paulo Franchetti




Fonte: Noticiasanarquistas.noblogs.org