Novembro 7, 2020
Do Reporter Popular
320 visualizações


Cerca de 150 pessoas atenderam o chamado do movimento feminista 8M Brasil – SC para uma manifestação na manhã de hoje (07) contra a cultura do estupro. A mobilização foi convocada após um primeiro ato que aconteceu na quarta-feira (04), um dia após o site The Intercept Brasil divulgar publicamente cenas do julgamento que absolveu o estuprador André de Camargo Aranha. Nas cenas, é possível ver que a vítima Mariana Ferrer se tornou a acusada pelo advogado de André Aranha, Cláudio Gastão da Rosa Filho, que a expõe e difama em um ambiente virtual onde está cercada apenas de homens. A divulgação causou choque e indignação nas redes sociais, reacendendo a mobilização em defesa de Mari Ferrer por todo o país. 

Embora a primeira manifestação em Florianópolis tenha sido um pouco maior, a data de hoje acontece com o peso de uma mobilização nacional de reivindicação feminista. Levantamentos indicam a realização de atos em mais de vinte cidades neste fim de semana.

Em Florianópolis, a mobilização ainda teve motivação dupla. Além de ser onde se localiza o beach club de luxo Café de la Musique, onde André Aranha cometeu o estupro, a cidade também ficou sabendo recentemente da acusação de estupro do atual prefeito Gean Loureiro (DEM), que concorre à reeleição e atualmente lidera nas pesquisas. A denúncia, feita na Justiça por uma servidora comissionada da Prefeitura, relata um conjunto de estupros realizados entre 2017 e 2019. A mulher que o denunciou, no entanto, enfrentou o vazamento público da denúncia, de seus dados e até mesmo de fotos e uma gravação do ato de possível estupro. Mesmo de antemão, uma grande parcela da sociedade já absolveu o prefeito Gean e ainda condenou a denunciante. 

Em vídeo, o prefeito reconhece a autenticidade da gravação que retrata o ato dentro da Prefeitura, mas alega que se tratava de um caso extraconjugal consensual e que está sendo alvo de um ataque com fins eleitorais. Na terça-feira (03), uma maioria da Câmara de Vereadores votou contrária a um pedido de investigação do prefeito por “quebra de decoro” que poderia levar a seu afastamento, enquanto seguem as investigações de suposto estupro.

Além dos objetivos imediatos de afastamento do prefeito Gean Loureiro e da revisão do julgamento que absolveu o estuprador André de Camargo Aranha, a manifestação de hoje busca questionar e desfazer a cultura do estupro. Um elemento estrutural da sociedade patriarcal, justifica e normaliza os estupros, transferindo sua culpa e responsabilidade para as próprias mulheres, seja por sua vestimenta ou qualquer comportamento que desvie dos padrões sociais machistas ou conservadores.

Nesse sentido, o episódio da absolvição de André Aranha foi apenas mais um exemplo da cultura de estupro. Foram suas características tão explícitas que criaram uma grande onda de indignação nas redes sociais e também ação concreta feminista nas ruas.

Uma transmissão ao vivo de um momento da manifestação foi realizada pela página da Resistência Popular Estudantil – Floripa e pode ser conferida aqui.




Fonte: Reporterpopular.com.br