Fevereiro 2, 2022
Do Agencia De Noticias Anarquistas
165 visualizações

Em 25 de janeiro, o ministro do Interior Gérald Darmanin, ex-ativista de extrema direita acusado de agressão sexual anunciou sua intenção de preparar o caminho para a dissolução do meio de comunicação local Nantes Révoltée (nantes-revoltee.com). A direita local já vinha pedindo o silenciamento desse meio há algum tempo e parece ter obtido satisfação. Embora estejamos acostumados a ver o ministro circular sem sucesso, levamos muito a sério a ameaça que ele representa para a imprensa livre. Por que essa repressão? Nantes Révoltée explica:

“Na sexta-feira, 21 de janeiro, ocorreu em Nantes uma manifestação contra a extrema direita. Um evento bastante comum: centenas de pessoas marcharam pelo centro com bombas de fumaça. No final da manifestação, duas janelas foram danificadas. O Nantes Révoltée como meio de comunicação cobriu esta manifestação. Esta marcha banal foi o pretexto para um surto político. A direita e a extrema direita apreenderam duas janelas quebradas para exigir a dissolução de Nantes Révoltée de Gérald Darmanin.

Em um texto delirante, o gerente do LREM de Nantes e o presidente da região do Pays-de-la-Loire escrevem: “não podemos mais permitir que essa ideologia anarquista e odiosa prospere”, ou mesmo “por quase dez anos, centenas de policiais e vizinhos ficaram feridos durante essas manifestações violentas”. É verdade, a polícia de Nantes feriu centenas de manifestantes, muitos dos quais ficaram mutilados para a vida. Nós provamos isso. Nantes Révoltée também é acusado de prejudicar “a imagem e a atratividade da capital regional”. Como metrópole “dinâmica”. A luta perturba os lucros dos barões da cidade.”

Há alguns meses, La Bogue, o veículo de notícias Limousine da rede MUTU, foi atacado. Felizmente nem todos os casos atingem essas proporções, a mídia livre é regularmente ameaçada.

Este pedido de dissolução segue a dissolução da CCIF há alguns meses: o poder Macroniano decidiu silenciar aqueles que propõem contra-discursos. Em Lyon, é o grupo antifascista La Gale que é atacado pelo mesmo ministro por ter ousado publicar um apelo ambiental nas redes sociais, amplamente divulgado na rede MUTU. Há alguns meses, foi o Festival “Lyon Antifa Fest” que foi atacado por ter retransmitido um trecho de um show em seus anúncios.

Desde o início de seu mandato, Macron usou toda a força para reprimir o movimento social: coletes amarelos, sindicalistas, ambientalistas, todos eles conheceram apenas as tonfas e os tribunais para obter respostas.

Todas as instâncias de mediação entre cidadãos e poder são tratadas com desprezo. Mesmo quando o poder os organiza em seus próprios termos por sorteio, ainda encontra uma maneira de ignorar suas opiniões. Seguindo o modelo de Margaret Thatcher antes dele, ele escolheu a passagem forçada sistemática em um estilo puramente “iliberal”.

Nesse contexto, o ataque ao Nantes Révoltée surge como mais um passo na corrida pelo poder rumo a um regime autoritário. Macron alertou que seu próximo mandato será um termo para danos sociais. Parece que ele começou a se preparar para o trabalho.

Apoiamos os camaradas de Nantes Révoltée.

Fonte: http://alasbarricadas.org/noticias/node/47500

Tradução > GTR@Leibowitz__

agência de notícias anarquistas-ana

Voar sempre, cansa –
por isso ela corre
em passo de dança

Eugénia Tabosa



on Twitter


on Facebook


on Google+




Fonte: Noticiasanarquistas.noblogs.org