Janeiro 21, 2021
Do Uniao Popular Anarquista
168 visualizações


*Tradução para português de Portugal: Dick Rush; revisão ao português do Brasil: Unipa

Material original: http://blogyy.net/…/derive-autoritaire-en-grece-comme…/

Esta noite, o bairro de Exarcheia está sob um dilúvio de armas e uniformes. Para evitar qualquer revolta, o Estado grego implantou um verdadeiro regimento de policiais apoiado por dois helicópteros e vários drones. Gritos irrompem aqui e ali, bem como explosões. Um prédio desabitado está em chamas. Há um ano, a polícia grega tenta enfraquecer o bairro evacuando muitas ocupações, mas algumas ainda resistem, em particular o Notara 26 e o K Vox. No entanto, desde esta manhã, a nova irrupção policial atingiu um nível sem precedentes. Não apenas em números, mas também em atos particularmente chocantes.

Para começar, neste aniversário do assassinato do jovem anarquista Alexis Grigoropoulos por um policial em Exarcheia em 6 de dezembro de 2008, as forças da ordem dos poderosos nos impediram de ir ao local de meditação onde se encontra a placa comemorativa no lugar onde foi assassinado aos quinze anos! Pior ainda, dezenas de pessoas foram presas por tentarem passar. Mais de 160, nas últimas notícias, em poucas horas! Um dos policiais até arrancou um buquê de rosas da cena antes de destruí-lo na frente das câmeras. As imagens percorreram rapidamente a Grécia, já causando um escândalo esta noite.

Além disso, os jornalistas foram impedidos de continuar a filmar no bairro e empurrados para o mais longe possível das “operações policiais”. Alguns viram os seus equipamentos danificados, outros foram violentamente devolvidos, incluindo os meus amigos jornalistas freelancer Alexandros Katsis e Mario Lolos (autor de várias das fotos), às vezes com bastões!

As dezenas de camaradas presos não baixaram a cabeça e os que conseguiram ergueram os punhos em uníssono com a multidão chocada, mas perseverante.

Mais uma vez, policiais abertamente neonazistas foram notados entre as “tropas” enviadas para impedir qualquer “revolta de 6 de dezembro” (veja as fotos que mostram os sinais de reconhecimento em seus capacetes).

Nada de novo sob o sol: o fascismo continua sendo o guardião zeloso do capitalismo. Ele não é uma oposição real ao sistema político e econômico atual. Pelo contrário: em cada situação de crise, é a sua etapa final, no curso das derivas autoritárias.

Hoje ninguém consegue entrar na Exarcheia sem controle, nem mesmo táxis! Em Atenas, 31 estações de metrô foram fechadas! Vários locais foram bloqueados, às vezes com ativistas dentro, sem água e comida durante o dia. Companheiros foram perseguidos na vizinhança por policiais que ousaram detonar suas granadas dentro de um prédio, correndo o risco de matar os alvos. Vendo este duro dia de aniversário chegando, alguns quiseram se manifestar dois dias antes, em 4 de dezembro, mas também foi muito difícil, especialmente na Praça Sintagma, em frente ao parlamento.

Simultaneamente, o grupo Rouvikonas retaliou em cinco posições de poder contra a política governamental, em particular, contra o manejo das falências e situações catastróficas geradas pela crise atual. Uma crise que é sobretudo do próprio capitalismo, evidenciando, mais uma vez, o seu absurdo econômico, social e ecológico. O capitalismo é a morte. Resistir é participar do salvamento de vidas, enquanto ainda há tempo.

Em seu comunicado de imprensa e folhetos, Rouvikonas cita o exemplo de resistência à abrangente lei de segurança na França que, apesar de um contexto muito difícil para as mobilizações, consegue reduzir o poder:

““Como fizeram na França, onde, da mesma forma suja, o Estado tentou garantir o direito à repressão absoluta e onde a base social francesa saiu às ruas e a obrigou a se retirar.” Comunicado de imprensa completo aqui: https://rouvikonas.gr/archives/4710

Como outros coletivos em Atenas, Creta e em outros lugares, Rouvikonas também está onipresente no campo da solidariedade nestes meses difíceis. Em parceria com várias cozinhas sociais, o grupo anarquista com sede em Exarcheia e Keratsini participa ativamente das iniciativas de solidariedade autogestionária do movimento social. Um dos artigos com fotos:bhttps://www.documentonews.gr/…/roybikwnas-kai-el-chef…

Estamos tentando fazer o mesmo agora em Creta, de forma mais modesta, em uma ilha onde a resistência continua da melhor maneira possível, tanto contra grandes projetos prejudiciais quanto contra o sistema político e econômico como um todo. Lugares estão nascendo (falaremos sobre isso novamente) e as ações estão se multiplicando. Entre outros, ontem à noite, um grande estandarte foi hasteado na fortaleza do porto de Heraklion, à vista dos habitantes, marinheiros e passageiros: “”Nenhuma polícia será capaz de protegê-lo por sua imensa responsabilidade nas consequências desta pandemia”. Comunicado de imprensa completo com fotos: https://athens.indymedia.org/post/1608943/

Na verdade, esta pandemia revela mais uma vez as profundas desigualdades em face da contenção e suas consequências. Pior ainda, covid19 oferece um novo pretexto para o poder roubar de nós o que resta de nossa liberdade nesta sociedade cada vez mais autoritária. Depois do terrorismo, aqui está a era do vírus. As notícias de última hora continuam e continuam. Todos os meios são bons para girar o parafuso, repetidamente, e nos trancar brutalmente em uma sociedade distópica, onde o estado ousa interferir em tudo que torna nossas vidas, desde suas menores dobras, até os confins de nossa privacidade.

Quem ainda não compreendeu o que é o Estado, deve abrir os olhos nesta ocasião: seja qual for a guerra que ele declare em nosso nome, contra esta ou aquela, somos sempre nós que sofremos. seus caprichos, seus caprichos e suas ordens do céu.

Por outro lado, Exarcheia é um daqueles lugares onde, nos últimos anos, mostramos que é possível levar a vida nas mãos, na autogestão, na ajuda mútua, na criação, na resistência, na democracia direta. E até mesmo a anarquia – que é, como Elisée Reclus apontou, “”a mais alta expressão da ordem”” e não o caos como a mídia afirma na mala.

Dia triste para este distrito de Atenas sufocado pelo poder e seus servos. Mas o grão está sendo semeado e, enquanto espera que volte a se espalhar na Exarcheia, já está crescendo em novos lugares na Grécia.

Pensamentos doces para todos vocês. Segure firme. E mais uma vez, bravo pela luta contra a lei de segurança global, mesmo que nada esteja terminado!

Yannis Youlountas




Fonte: Uniaoanarquista.wordpress.com