Março 29, 2021
Do Agencia De Noticias Anarquistas
216 visualizações


Sexta-feira 2 de abril 21 horas (horário de Roma, 17 horas horário de Brasília)

Encontro online

Com Francesco Codello, pedagogo, entre os fundadores da Rede para a Educação Libertária

https://us02web.zoom.us/j/89954592229

Ideias, práticas, experimentações da galáxia da educação libertária.

A Liberdade não pode ser ensinada, somente pode ser apreendida na prática, na relação com os outros. E é por isto que na abordagem educativa libertária os meios são tão importantes quanto os fins.

A ideia que o pressuposto da educação seja a liberdade da criança e o fim da educação seja a liberdade do ser humano adulto é compartilhada por um amplo espectro de teorias pedagógicas progressistas. Mas é somente a abordagem antiautoritária que, com indiscutível coerência, sustenta que o processo educativo para conseguir esses resultados deva ser pensado e efetuado no terreno da liberdade.

A pedagogia libertária visa subtrair o menino e a menina de qualquer doutrinamento ideológico para que se torne um indivíduo autônomo e bem consciente das forças históricas e sociais que atravessam a sociedade, determinando a posição do indivíduo em seu interior. Longe de querer “adaptar” o indivíduo à máquina social, essa abordagem educativa interroga-se, sobretudo, no porque as pessoas estão dispostas a aceitar como legítima uma autoridade social que limita a liberdade delas.

A docilidade não é inata, mas fruto de um processo educativo autoritário, que visa formar, ou seja, a colocar em forma, adaptar a um esquema, dobrar à lógica da hierarquia, do rol social e de gênero, meninos e meninas.

A educação transforma-se em ginástica da obediência, em quiz, testes de atitude, exames e provas, exercício para forjar as pessoas segundo a ética, a religião, a utilidade prevalecendo em um contexto social dado.

O objetivo da educação incidental, libertária é franquear aos meninos e meninas das duas instituições-chave que plasmam o destino social: a família, que graças ao conceito totalmente histórico de infância sanciona a dependência do menor ao adulto, e a escola, a mais capilar agência de socialização autoritária, indispensável para manter em pé a pirâmide social.

A escola do Estado adestra para a obediência, para a competição e para a flexibilidade, visando forjar indivíduos prontos para serem explorados ou exploradores.

Na Itália e no mundo existem escolas que colocam no centro a autonomia dos meninos e das meninas, um pilar crucial na construção de um mundo de livres e iguais.

Federação Anarquista Torinese
Laboratório Autogerido La Miccia – Asti
Laboratório Anarquista Perlanera – Alessandria

FB: https://www.facebook.com/events/2545758282396183/

Tradução > Carlo Romani

agência de notícias anarquistas-ana

A folha se vai
embarca em qualquer som
rio abaixo.

Masatoshi Shiraishi




Fonte: Noticiasanarquistas.noblogs.org