225 visualizações


Após um 25 de abril muito bem sucedido, também o Primeiro de Maio foi cheio de satisfações para nós. Tivemos uma primeira parada às 9h30 na Piazza Unità para uma manifestação relâmpago/flash mob organizado junto com a Cobas e Usi-Cit. Após algumas canções do coro social, os participantes (cerca de 60 pessoas) se posicionaram em várias fileiras, cada um com um cartaz diferente sobre o qual foram indicadas as muitas motivações da iniciativa: desde a luta contra os gastos militares e por um atendimento público, universal e gratuito à luta na escola, por apoio mútuo e solidariedade de baixo para cima, contra qualquer discriminação étnica ou de gênero, por moradia, renda e serviços sociais para todos. Os mesmos conteúdos foram os principais elementos dos discursos ao microfone. Além das três organizações, também falou um ativista da Assembleia de Trabalhadores em Artes Cênicas. Um breve discurso sobre as origens históricas do Primeiro de Maio por um de nossos camaradas encerrou a iniciativa, que também teve um eco justo na mídia. Ao mesmo tempo, outras partes do movimento haviam iniciado uma iniciativa itinerante em outras partes da cidade com paradas em vários lugares simbólicos (prisão, hospital…).

Enquanto alguns camaradas ficaram na praça (onde se realizou a habitual triste manifestação tríplice) montando um banquete com livros, jornais e bandeiras, a maioria de nós se mudou para o campo de San Giacomo onde às 11h começou a outra iniciativa “Produci, confinati, crepa”, organizada em conjunto com outros sindicatos e movimentos da cidade, que durou até a noite. Montamos nossa banca e colocamos bandeiras e faixas com as palavras “Nossas vidas contra seus lucros” e “Rico: cuidados de saúde privados. Pessoas pobres privadas de assistência médica. Solidariedade e luta de classe contra o poder”. Durante duas horas houve numerosos discursos ao microfone que exploraram vários assuntos em frente a uma praça participativa de cerca de 400 pessoas. De nossa parte, como fizemos na iniciativa pela união, lemos o comunicado do CdC da FAI “Primeiro de Maio na praça contra o governo”. Depois do almoço o dia continuou com música e dança como sempre sob o olhar atento de investidagores e gendarmes de uniforme. O resultado do dia foi certamente positivo, não apenas pela excelente distribuição do novo número do “Germinal”, de livros e outros materiais, mas também pelo interesse demonstrado em nossas atividades e pelos novos contatos feitos.

Fonte:

https://germinalts.noblogs.org/post/2021/05/02/il-nostro-primo-maggio/?fbclid=IwAR1Jj32n2grEOJFxbjWPLuunUHyYHKfmghgMSv9i6Z8ukbERtEASAbUnb6A

Tradução > Liberto

agência de notícias anarquistas-ana

na blusa velha,
muitas borboletas –
ele adora tocá-las…

Rosa Clement




Fonte: Noticiasanarquistas.noblogs.org