Dezembro 1, 2020
Do Reporter Popular
280 visualizações


Uma manifestação antirracista agitou o cotidiano de Alegrete neste domingo (29). A motivação do ato foi o assassinato de João Alberto.

A programação começou no sábado, um dia antes, com debate sobre educação e a questão negra no programa de rádio do STEMA – Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Município de Alegrete. Além disso, foi realizada uma roda de conversa no Ponto de Cultura Coletivo Multicultural, com o Movimento Negro Unificado de Uruguaiana (representado por Staël Soraya, Vidal de Castro e Augusto Fidelis).

O ato deste domingo teve início às 17h30, com falas de integrantes do movimento negro, exposição de cartazes com frases antirracistas que faziam lembrança de casos de repressão contra a população negra, enfatizando a relação do capitalismo com o racismo e também a importância de uma educação voltada para a história e a cultura afro-brasileira.

A manifestação foi organizada pela Resistência Popular, Coletivo Negro Minervino Oliveira, Coletivo Iyá Agbara, Frente de Esquerda Socialista, PCB, PSOL, Independentes, Coletivo Multicultural, Alicerce, UJC e Levante Popular da Juventude.




Fonte: Reporterpopular.com.br