Março 16, 2021
Do Anarkio
193 visualizações


Matilde veio da Itália junto com seu companheiro Luigi Magrassi, para continuar no Brasil as atividades anarquistas que já realizava em sua terra. Junto com o companheiro, integrou os primeiros grupos libertários e de teatro social, fundados pelas pessoas anarquistas no Rio de Janeiro.

Morou no Rio de Janeiro e São Paulo na última década do século XIX e na primeira do século XX. Ajudou a fazer o jornal Novos Rumos, lançado em maio de1905 e colaborou, entre outros, com o Amigo do Povo e O Chapeleiro, publicados em São Paulo em idiomas italiano e português; o primeiro sob a responsabilidade de Neno Vasco,e o segundo de José Sarmento Marques. Matilde fez intensa propaganda anticlerical e participou de algumas assembleias.

Para o 1o. de Maio de 1904, ela escreveu o texto”Emancipatevi!”, que o jornal O Chapeleiro inseriu em idioma italiano na sua terceira página.

Neste texto, Matilde lança um grito de alerta às mulheres trabalhadoras para que se libertem do estigma de serem apenas donas de casa. Ela destacava a importância do papel da mãe junto as crianças, concluindo que não basta que só algumas pessoas conquistem direitos iguais, mas que todas consigam, existindo então a libertação do gênero humano.

Anos depois, Matilde Magrassi viajou com seu companheiro para a Argentina, começando por lá uma nova adaptação. Luigi Magrassi entrou para a redação de La protesta, e colaborava também com o jornal.

(do material Mulheres Anarquistas vol. 01, clique aqui para acessar)

Share this…
Share on Facebook0Tweet about this on TwitterEmail this to someonePin on Pinterest0



Fonte: Anarkio.net