Dezembro 3, 2020
Do Colectivo Libertario Evora
327 visualizações


Publicado originalmente em “A Ideia”, nº 26/27, de Dezembro de 1982. Memória libertária da autoria de Adriano Botelho, um militante anarquista, falecido em 1983, aos 90 anos, depois de décadas de luta pelo ideal libertário. Nos últimos tempos do fascismo, já com idade avançada, escrevia textos anarquistas, à mão, que depois ia deixando pela cidade de Lisboa, nomeadamente nos transportes públicos. Pacifista, defensor da acção directa, Adriano Botelho foi uma referência para muitos jovens anarquistas do pós-25 de abril de 74.




Fonte: Colectivolibertarioevora.wordpress.com