175 visualizações


DEPOIS DA MEIA NOITE…

Justamente uns minutos depois das 00:00 horas de 23 de maio de 2021, colocamos um artefato explosivo feito com base de pólvora e gás butano, com o objetivo de destruir as instalações do BANJÉRCITO (Banco Nacional do Exército) localizado em CALZADA DEL HUESO 7700 COL GRANJAS COAPA DELGACIÒN TLAPAN, DE LA CIUDAD DE MÉXICO (Endereço na Cidade do México), objetivo que cumprimos totalmente.

Fizemos isso porque…

I.

• Recordamos de Mauricio Morales, companheiro anarquista chileno que morreu tragicamente em 22 de Maio do ano de 2009, ao transportar um artefato explosivo que aparentemente se direcionava à Escola de Gendarmeria (guardas militares) do Bairro Matta, Santiago. Está presente, companheiro!

• Atendemos ao chamado das ações convocadas pelos presos anarquistas no mundo. Desde o México até a Grécia, desde Montevidéu até a Bélgica! Desde Argentina até o Reino Unido. Que o prazer armado siga nos encontrando!!!

• Condenamos às operações repressivas contra xs anarquistas no Reino Unido e as redes mundiais de contrainformação. Nos solidarizamos plenamente com os que enfrentam a repressão no Reino Unido, assim como com xs companheirxs de 325, Anarchist Black Cross Berlin, Northshore Counter-Info, Montreal Counter-Info e Act for Freedom Now.

II.

Repudiamos o militarismo mexicano. Hoje, no México, vivemos em um regime militarista reforçado. O governo de Andrés Manuel López Obrador aprofundou a expansão da influência política, presença e acesso a recursos dos corpos militares, incrementando seu poder, duplicando seu orçamento e estendendo sua área de influência: entregando aos milicos áreas como a migração, portos e aduanas, distribuição de programas sociais e segurança pública. Isso, por consequência, provocou um doloroso aprofundamento da verticalização social, fazendo cada vez mais rígidas as hierarquias sociais. E qual é o resultado? Mais violência contra as classes exploradas, desaparições forçadas, execuções extrajudiciais, tortura sexual, aumento dos feminicídios; tudo isso castigando, como sempre, com mais ênfase no bem estar de quem cria a vida: as mulheres. Ou como essas hierarquias sociais podem ser sustentadas, se não nos colocam ao patamar de descartáveis e se apropriando de nossos corpos? E logo, quando as mães, procurando seus filhos desaparecidos dão gritos de horror, o que o estado mexicano tem para elas? O deboche e o desdém são as únicas coisas que recebem de López Obrador! Mas, qual é a causa de tanta indiferença? Pensamos que se este sistema é indolente diante dos nossos gritos é devido à nossa dor pela possibilidade da continuação desta ordem de exploração. É que a estrutura deste monstro se alimenta de nosso sangue e de nossos ventres! Sem o valor que criamos, sem a vida que damos, sem os corpos que cuidamos, como a vida poderia ser reproduzida depois que suga esta ordem? Por isso é que nem o estado nem o patriarcado nem o capitalismo deterão por eles mesmos este massacre. Nós vamos ter que pará-lo!

Não nascemos mulheres, nos fizeram mulheres. Pois agora reivindicamos! E desde esta perspectiva dizemos nitidamente: NÃO PERMITIREMOS SUA EXPANSÃO, NUNCA MAIS SERES DÓCEIS DIANTE SUA ORDEM DE MORTE E MISÉRIA!

III.

• Na noite de segunda-feira, 3 de maio, uma ponte do Metrô da Cidade do México desabou, o número de mortes chegou a 26 e ao menos 10 pessoas hospitalizadas estão em estado grave. A todos culpados, FUNCIONÁRIOS, CAPITALISTAS E LACAIOS ASSASSINOS, dizemos: Tenham muito medo, porque vamos atrás de vocês, e pode ser que estejamos mais perto do que vocês acreditam.

• Na manhã de 18 de maio, um grupo de 95 estudantes (74 mulheres) foi sequestrado pelo estado mexicano, em um ato covarde de criminalização do protesto social. Exigimos sua liberdade imediata. Abaixo os muros das prisões! Todos os prisioneiros são políticos!

• As eleições no México estão próximas. Repudiamos o estado! Não o deixaremos dormir! Acenderemos a revolta!

Vamos acender a chama! Vamos viver a sua alegria! Vamos destruir esta ordem! Viva a Anarquia!

Pelo Grupo Informal de Ação Anarca Feminista Insurrecional Lupe la Camelina.

Ciudad de México, 23 de maio de 2021.

P.S.: Os meios de comunicação burgueses no México calaram esta ação. Isso só nos confirma o consenso das classes pelo poder. E reitera nossa convicção de transbordar o argumento e a ação. Se os incomodamos, se querem nos calar, significa que vamos por um bom caminho. NÃO nos calarão!

Tradução > Caninana

agência de notícias anarquistas-ana

Ao deixar o portão
Do templo zen,
Uma noite estrelada!

Shiki




Fonte: Noticiasanarquistas.noblogs.org