Janeiro 6, 2021
Do Reporter Popular
369 visualizações


Acabou de virar o ano, mas um ano novo nunca chegou nestas terras colonizadas, o genocídio continua em andamento. Ontem, dia 05/01/2021 ocorreu uma manifestação pedindo justiça por Marcelo Guimarães, um homem negro, morador da Cidade de Deus, trabalhador de uma marmoaria e pai de dois filhos, que foi executado pela Policia Militar do Rio de janeiro na primeira segunda-feira do ano, dia 04/01.

Para o Estado não há recesso para política de morte. Há 2 anos, em janeiro de 2019, também eram executados pela PMERJ Carlos Eduardo e Rômulo Oliveira, que tem seus rostos estampados na bandeira das Mães de Manguinhos, que seguem lutando por justiça e se somaram no ato de ontem, sempre com suas palavras aguerridas que transformam luto, em luta!

O ato contou com uma homenagem a Marcelo, que teve seu rosto estampado em um grafite no local onde foi assassinado pelo Estado. Como disse uma liderança da CDD, quando alguém da classe dominante morre, seu nome vira um nome de rua, de um túnel e etc. Mas os negros que são assassinados a cada 23 minutos, não ganham nenhuma homenagem. Então façamos nós a nossa homenagem, com nossa cultura, nossa arte. Infelizmente vamos encher essa cidade com os rostos das vitimas do Estado. Mas não descansaremos e nem nos calaremos!

Queremos justiça por Marcelo Guimarães, por todas e todos dos nossos que tombaram sob a política de matança do Estado Capitalista. Que nosso luto se transforme em luta e organização para que um dia nossos inimigos caiam diante do poder popular, e nasça um verdadeiro ano novo.

 




Fonte: Reporterpopular.com.br