317 visualizações


A longa e sangrenta história da brutalidade policial teve um capítulo recente em Nea Smyrni, na Grécia, no início de março onde, após reprimir uma manifestação (que era inclusive contra a própria brutalidade policial) na qual um policial foi ferido, a Unidade “Anti”-Terrorista da polícia iniciou uma campanha de retaliação selvagem contra várias pessoas, presentes ou não no ato. Aris P., membro do coletivo anarquista Masovka, foi sequestrado na rua em 10/03, levado ao Diretório Geral da Polícia (GADA) e espancado, torturado e até pressionado a se suicidar por dias. O governo de Kyriakos Mitsotakis, do partido de direita Nova Democracia, primeiro negou o ocorrido, e depois, conforme a pressão foi crescendo, exigiu o testemunho de Aris P.

Isso está longe de ser uma novidade George Floyd, Rafael Braga, Théo L., Sarah Everard, e Camilo Catrillanca são alguns exemplos em outros países, mas a lista é maior do que qualquer pessoa poderia escrever. A polícia sempre foi uma ferramenta da classe dominante para submeter os explorados e oprimidos, e em tempos de crise social, econômica e sanitária como 2020-21 (por causa da pandemia de Covid, mas não só), essa função é ainda mais nítida. A polícia da Grécia foi uma parte essencial da ditadura de Metaxas, e não é uma surpresa que a grande maioria dos policiais fossem eleitores do partido neonazista Aurora Dourada, mas a PM do Brasil, para dar outro exemplo, não é diferente com os incontáveis assassinatos de negros desarmados nas periferias e seu apoio ao projeto de ditador de extrema-direita Jair Bolsonaro. Mesmo em países que supostamente são governados por progressistas ou pela esquerda agridem, perseguem e aprisionam ativistas e a população, como ocorreu no assassinato de Michael Brown nos EUA, com as falsas acusações contra Sebastian Romero na Argentina, e com a prisão ilegal de Pablo Hasél na Espanha.

Agora, Aris P e o coletivo Masovka deram um passo grande. Eles decidiram processar legalmente a Unidade “Anti”-Terrorista da polícia grega, sem expectativas de que o sistema judiciário faça justiça, mas como parte de uma campanha para denunciar a brutalidade policial na Grécia e para forçar o Estado democrático grego a reconhecer seus problemas. Estão recebendo ameaças de morte, sendo perseguidos nas ruas, e sofrendo uma campanha de calúnias, e precisam de solidariedade política, de ajuda financeira para a campanha legal, e de apoio para espalhar as denúncias. E nós resolvemos atender a esse chamado.

Somos músicos, jornalistas, ativistas e produtores ; viemos do black metal, do dungeon synth, do hip-hop e da poesia slam ; somos marxistas-leninistas, anarquistas, trotskistas, ou simplesmente preocupados, estamos nos EUA, no Brasil, na Grécia e na Nova Zelândia. Somos muitos, e temos muitas diferenças entre nós – muitos sequer concordamos que a tática de Aris e do Masovka seja a melhor nessas circunstâncias – mas hoje unimos nossas vozes para dizer bem alto :

— ABAIXO A BRUTALIDADE POLICIAL NA GRÉCIA E EM TODO MUNDO !

— TODA NOSSA SOLIDARIEDADE A ARIS P., AO COLETIVO MASVOKA E A TODOS QUE LUTAM !

Envie sua assinatura : karolinaneznamy@gmail.com

ASSINAM :

— – Æthĕrĭa Conscĭentĭa – banda de black metal progressivo, França

— – Archaic Earth – banda de post-black metal atmosférico, Canadá

— – Art of Simplicity – banda de prog metal, Grécia

— – Ashenspire – banda de prog/black metal, Escócia

— – Awenden – banda de black metal atmosférico, EUA

— – Attack Fulminante – conjunto de hip-hop, Brasil

— – Bloco Marx, que Delícia – bloco de Carnaval, Brasil

— – Bloco sô fia da vida – bloco de Carnaval, Brasil

— – Bull of Apis Bull of Bronze – banda de black metal, EUA

— – Cantus Infame – banda de black metal, Brasil

— – Clarion Knell – banda de black metal atmosférico, França

— – DarkTower – banda de black metal, Brasil

— – Desespero – banda de black metal, Brasil

— – Dreams of the Drowned – banda de avant-garde/black metal, França

— – Estevà – banda de ambient/black metal, França

— – Etxegiña – banda de black/death metal, França/Espanha

— – Feminâzgul – banda de black metal, USA

— – Gangrena Gasosa – banda de saravá metal, Brasil

— – Gaylord – banda de black metal, Reino Unido

— – Gíria Vermelha – conjunto de hip-hop, Brasil

— – Glasswalker – banda de thrash metal, Brasil

— – Growth – banda de black metal industrial, França

— – Hereticae – banda de black/death metal, Brasil

— – Lerna – banda de black metal atmosférico, Brasil

— – Mavro Gala – banda de screamo, Grécia

— – Morteminence – banda de blackgaze, França

— – Nervochaos – banda de death/thrash metal, Brasil

— – Non Serviam – coletivo de música extrema, França

— – Operation Volkstod – banda de black metal, Alemanha

— – Osso e Madeira – banda de black metal atmosférico, Brasil

— – Outer Darkness – banda de post-black metal, EUA

— – Periodeater – banda de black metal, EUA

— – Pessimista – banda de black metal, Brasil

— – Plague of Carcosa – banda de doom metal, EUA

— – Resistência du Gueto – conjunto de hip-hop, Brasil

— – Sacral – banda de black/crust, EUA

— – Solifvgae – banda de post-black metal, Brasil

— – Spectral Lore – banda de black metal, Grécia

— – Stagnant Waters – banda de avant-garde metal, França

— – Thecodontion – banda de black/death metal pré-histórico, Itália

— – Tiffo – banda de black metal, Brasil

— – Tuatha de Dannan – banda de folk metal, Brasil

— – Tumultuous Ruin – banda de black metal, EUA

— – Tyhjä – banda de black metal, Finlândia

— – Ulvesang – banda de neofolk, Canadá

— – Underdark – banda de post-black metal, Reino Unido

— – Valtiel – banda de black metal, EUA

— – Venom Prison – banda de black metal/hardcore, Reino Unido

— – Violet Cold – banda de um homem só experimental, Azerbaijão

— – VOAK – banda de black metal, Grécia

— – Vociferatus – banda de black metal, Brasil

— – Void Angel – banda de black metal, Reino Unido

— – VomitöxinA – banda de harcore/crossover, Brasil

— – Winter Lantern – banda de black metal, EUA

— – Yovel – banda de black metal, Grécia

— – Erronimoüs Records – selo de metal, Brasil

— – Garage Tapes Prod. – produtora e selo de metal e punk, Brasil

— – Red Nebula – selo de metal, EUA

— – Xenoglossy Productions- selo de black metal experimental, Itália

— – Realm and Ritual – gravadora de black metal e dungeon synth, EUA

— – Carlos Agraz, The Art of Asty – ilustrador, México

— – Hayduke X – jornalista, EUA/Canadá

— – Karol Tolstoy – poeta, Brasil

— – Matthew Dakoutros – músico, Grécia

— – Nikolaos Ostadimitris – músico de rua, Grécia

— – Tavos Silva – criador de conteúdo, tradutor “Lords of Chaos”, Brasil

— – ATONA Midia – grupo independente de mídia, Brasil

— – Web Rádio Censura Livre – grupo de mídia independente/web rádio, Brasil

— – Ateneo Ocvlto – website cultural, Espanha

— – MetalReds Moto Grupo – motoclube de metal de esquerda, Brasil

— – DJ Bekby – Bloodstreets – rádio online de metal, Grécia

— – DIY Conspiracy – webzine, Balcãs

— – Semirutarum Orbium Cadavera – coletivo contra o atual estado das coisas, Itália

— – La Bodeguita Socialista – espaço cultural, Brasil

— – CSP-Conlutas – central sindical, Brasil

— – Setorial de Cultura da CSP-Conlutas

— – Setorial Internacional da CSP-Conlutas

— – Rede Internacional Sindical de Solidariedade e Lutas

— – Luta Popular – movimento popular/artístico/de moradia, Brasil

— – Halevavoth HasShburim – coletivo anarco-queer, Israel/Palestina Ocupada

— – Preto no Metal – coletivo antirracista de metal, Brasil

— – Quilombo Brasil – coletivo de hip-hop, Brasil

— – CAS – Coletivo de Artistas Socialistas, Brasil




Fonte: Laboursolidarity.org