Março 9, 2021
Do Reporter Popular
394 visualizações


Na última segunda-feira, 8, no Dia Internacional das Mulheres, em todo o Brasil manifestações marcaram a data. Mesmo diante de um contexto pandêmico, as mulheres de Joinville viram a necessidade de afirmar que esta é uma data política, reivindicando através de faixas e cartazes, as lutas por vida digna, vacina, legalização do aborto e o fim da violência contra a mulher.

No bairro Itinga, faixas exigindo vacina e denunciando as políticas de precarização da vida na periferia foram expostas. Outra faixa que marcou a região foi exposta no residencial Trentino, ressaltando a luta diária das mulheres por uma vida digna.

Também na zona Sul, em uma praça, foi estendida a faixa com a escrita “Mulheres na luta por vida digna”, demonstrando que diante a crise sanitária, muitas mulheres não estão conseguindo suprir as necessidades de moradia e alimentação, reivindicando que é direito de todas e todos os direitos básicos para sobreviver a pandemia.

As ações também foram realizadas em outras regiões da cidade. No centro, na passarela da avenida JK, uma faixa reivindicando a descriminalização do aborto, pela defesa da vida das mulheres, foi esticada.

Também no centro, na praça Nereu Ramos, um varal com frases de luta foi exposto para denunciar e dialogar com trabalhadoras que passavam pelo local. Outros atos ocorreram no terminal de ônibus do bairro Nova Brasília e por várias localidades da zona Norte.

Outra ação do 8M em Joinville foi a exibição da Cia de teatro Univille da peça “Mulheres”, dirigida por Angela Finardi. A peça foi transmitida gratuitamente pelo canal do YouYube da companhia às 20.

O espetáculo trata da biografia de mulheres que são exemplos de transformação social.

Diante a precarização da vida, o Fórum de Mulheres de Joinville, estende a luta para além do dia 8, puxando uma campanha de arrecadação de alimentos que irão para famílias em vulnerabilidade social.

As doações podem ser feitas na (Amorabi), localizada na rua dos esportistas, 510, bairro Itinga; no Sinte, na rua Ministro Calógeras, 320, bairro Bucarein; e na Econômica Solidária, Loja 16, dentro do shopping Cidade das Flores.




Fonte: Reporterpopular.com.br