Dezembro 11, 2020
Do Reporter Popular
343 visualizações


Somos a Frente Estudantil em Defesa da Saúde Mental, Reforma Psiquiátrica e Luta Antimanicomial RS, uma articulação de estudantes tirada a partir da reunião da ABRAPSO RS com o objetivo de somar e fomentar a iniciativa da Frente Nacional De Defesa em Saúde Mental, Reforma Psiquiátrica e Luta Antimanicomial. Nossa luta se dá por meio de organizações, diretórios acadêmicos e estudantes preocupados com a postura autoritária e neoliberal do atual governo nas esferas nacionais, estaduais e municipais em conjunto com instituições que, ao mesmo tempo em que afirmam defender a saúde, a qualidade de vida e a ciência violam a ética e a realidade do povo brasileiro em benefício de seus objetivos particulares. Nossa união é um grito coletivo de resistência ao projeto de desmonte do SUS, que vem desde sua constituição sendo ameaçado e sucateado. Não sem luta.

Recentemente o governo federal planejou um forte ataque ao povo, propondo a revogação de mais de 100 portarias e programas que hoje sustentam a rede de saúde mental integral, equânime e universal no país. O governo Federal, junto com a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), o Conselho Federal de Medicina e outros órgãos, que não representam efetivamente a totalidade de profissionais de medicina muito menos os profissionais em saúde mental no geral, tem mostrado que estão do lado dos interesses das iniciativas privadas, e na contramão das conquistas da luta antimanicomial, isto é, um dos sistemas de saúde mais justo e inteligente do mundo.

Os interesses da agenda conservadora dessas instituições fica evidente no projeto nomeado de “Diretrizes para um modelo de atenção integral em saúde mental no Brasil”, recentemente publicado pela ABP. Nesta publicação são feitas críticas insustentáveis sobre a qualidade e necessidade de uma saúde mental territorializada e do cuidado em liberdade atacando o programa anual de reestruturação de assistência psiquiátrica hospitalar no SUS, a Rede de Atenção Psicossocial (RAPS), os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), as equipes de Consultório na Rua, o programa De Volta Pra Casa e os serviços de Residenciais Terapêuticos em uma tentativa de desvalorizar esses serviços essenciais à população. Essas diretrizes defendem valores que representam um retrocesso nas conquistas em saúde mental, como o foco na centralização dos tratamentos na medicação, na figura do psiquiatra e na internação hospitalar.

Nossa primeira reunião aconteceu no dia 09/12/2020 e contou com representantes estudantis de várias instituições de ensino do estado do Rio Grande do Sul.

Estamos nos organizando!

Disponibilizamos aqui este e-mail como forma de contato para qualquer necessidade de articulações, participações e interações.

SIGA AS NOSSAS REDES SOCIAIS OFICIAIS:
Instagram: @frenteestudantilrs
Facebook: https://www.facebook.com/Frente-Estudantil-de-Sa%C3%BAde-Mental-RS-100762151915468

Link para ingressar no grupo de acolhimento do movimento estudantil do Rio Grande do Sul: https://chat.whatsapp.com/LZzzvQRoRbhHXkhZPdapWB

Nosso objetivo é lutar contra esse retrocesso, para isso precisamos nos unir. É preciso que todos nós participemos dessa luta, pois ela é de toda sociedade civil: convocamos estudantes, profissionais da área da saúde, usuários de saúde mental e familiares e qualquer cidadão que defenda os serviços de saúde pública. Precisamos nos mobilizar para barrar esse retrocesso a partir da mobilização e coletividade. Se organize e venha com a gente. A Reforma Psiquiátrica é todo o dia.
Saúde não se vende, loucura não se prende.
Nenhum passo atrás, manicômio nunca mais!

Fotos: Raquel Meyer




Fonte: Reporterpopular.com.br