Março 17, 2021
Do Agencia De Noticias Anarquistas
382 visualizações


Charlas y Luchas sai do vídeo e se transformará numa coleção de livros e você é a nossa convidada para a última live do projeto. Domingo, 21 de março, às 16 horas, é a pauta aberta da coleção aqui, ative o sininho no canal da Tenda de Livros.

O encontro será a primeira reunião do conselho editorial composto por cinco anarcofeministas: Amanda Cor, Beatriz Lacerda, Cassiana Mallet, Dandara Luigi e Noe Mercanzini. A conversa será conduzida por Aline Ludmila.

Charlas y Luchas trouxe em 2020 cinco mulheres anarquistas que viveram em espaços diferentes e estavam conectadas pelas suas histórias de luta. Deixaram um legado, por meio de palavras e gestos de resistência, fundamental para a história do anarcofeminismo.

Em 1908, companheiras do Centro Feminino Anarquista se despediam de Juana Rouco que estava sendo deportada à Espanha após o seu protagonismo na Greve dos Inquilinos. Dois anos depois, Margarita Ortega Baldes unia-se ao movimento anarquista mexicano. Petronila Infantes, a chola libertária boliviana, tinha apenas dois anos quando Margarita foi fuzilada na fronteira com o México em 1913. E, no Brasil, um ano depois, Maria A. Soares trazia o grito pelo despertar feminino no jornal A lanterna: “unamo-nos e não deixemos que progrida esse novo morbus que se introduziu entre nós e teremos assim evitado que amanhã sejam nossas inimigas as que hoje são nossas irmãs.”

Petronila já adulta era Dona Peta e atuava no movimento anarquista boliviano nos anos 30 e 40, Lucía Sánchez Saornil protagonizou o movimento anarquista espanhol na organização Mujeres Libres e na frente de combate ao fascismo. São os espaços transnacionais existentes na mesma temporalidade.

É a história do legado dessas mulheres que o Charlas y Luchas pretende transformar em papel impresso. E para que isso seja possível, apoie a pré-venda, a edição artesanal no Brasil é 50% mais cara que nos demais países da América Latina. Não existe gratuidade no livro, sempre quem paga são as corpas dissidentes. Para o primeiro livro acontecer vamos dar um curso, precisamos de 50 alunos para pagar os custos gráficos e o livro não sair um valor absurdo no unitário.

Detalhes:

Pauta aberta: coleção de livros Charlas y Luchas sobre mulheres anarquistas

Amanda Cor, Beatriz Lacerda, Cassiana Mallet, Dandara Luigi e Noe Mercanzini conversam com Aline Ludmila

Apresentação e chat ao vivo: Aline Ludmila

Roteiro e tradução simultânea: Fernanda Grigolin

Streaming e materiais de divulgação: Caio César Paraguassu

Apoie Charlas y Luchas em www.tendadelivros.org/loja

Ative o sininho e venha participar da última live do Charlas y Luchas.

Conheça Charlas y Luchas www.charlasyluchas.tendadelivros.org

Apoie a Tenda de Livros

Conteúdos relacionados:

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2020/09/29/live-charlas-y-luchas-episodio-04-anarquista-sagaz-na-palavra-e-na-guerrilha/

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2020/11/02/live-chola-libertaria-na-luta-sindical-e-na-palavra/

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2020/09/04/live-neste-sabado-lucia-sanchez-saornil-anarquista-antifascista-e-escritora-livre/

agência de notícias anarquistas-ana

Joaninha caminha
no braço da menina.
Olhar encantado.

Renata Paccola




Fonte: Noticiasanarquistas.noblogs.org