Agosto 16, 2021
Do
185 visualizações


No dia 21/07/2021 ocorreu, em São Paulo, uma reunião convocada pela Polícia Militar do Estado de SP (PMESP) para decidir os rumos da próxima manifestação (chamada para o dia 24/07). Organizações que se dizem minimamente progressistas estiveram presentes como PCB, PCO, CSP-Conlutas, PCdoB e UNE/UMES, junto com PSDB. Esse fato por si só já demonstra o claro posicionamento oportunista e reacionário dessas organizações, já que se reúnem com a PMESP ao mesmo em que, em suas “assembleias” virtuais, dificultam e até mesmo impedem a ampla participação de organizações combativas e militantes independentes. Assembleias essas que supostamente serviriam para decidir questões importantes dos atos, mas agora vemos claramente onde e com quem realmente são tomadas as decisões, de conteúdo reformista e conciliador. Concluímos que essas assembleias de nada servem, a não ser ludibriar o povo, para acharmos que estamos participando minimamente da construção das manifestações. São mentirosos e covardes!

Nessa reunião com a PMESP foram decididos pontos centrais como: concentração do ato, horário de saída, local e momento de encerramento e até mesmo o posicionamento das organizações durante a manifestação. Como se não bastasse, essas organizações deram informações a respeito da concentração do Bloco Combativo na Praça do Ciclista e, mais uma vez, demonstram de qual lado estão: do lado dos nossos opressores. Essa reunião é, além de tudo, um desrespeito com aqueles que morreram neste país na luta pelo socialismo, que foram torturados no passado e são ainda hoje, pelas forças de repressão do Estado.

Nós nos colocamos totalmente contra essa postura passiva e submissa, pois a Polícia Militar nada mais é que o braço armado desse Estado capitalista, o que deve ser destruído de cima a baixo. Organizações revolucionárias não fazem acordos com estas instituições porque organizações revolucionárias pretendem destruí-las, pois são historicamente inimigos do povo e da revolução. São campos não somente opostos, mas antagônicos. Essa mesma Polícia Militar prendeu, espancou, torturou e assassinou inúmeras pessoas da classe trabalhadora, de maioria negra, inúmeros militantes. E essa mesma organização que temos o desprazer de chamar de Partido Comunista (PCB) lançou nota de solidariedade ao companheiro preso por lutar no ato do dia 3J, ao mesmo tempo em que faz acordos com essa polícia que o jogou na cadeia.

Poderíamos achar que é irônico ou que esse partido está traindo a luta combativa, mas sempre soubemos do seu oportunismo, então não há traição, pois não estão conosco na luta revolucionária. Querem cargos parlamentares, disputar eleições burguesas com a desculpa de que estão propagandeando a revolução, uma revolução que fica sempre para depois, para a qual nunca estamos prontos o suficiente, o terreno nunca está fértil ou propício. Todas essas organizações querem colocar a revolta popular em “banho maria” até 2022, para impor suas legendas partidárias com os votos de luto daqueles que sobreviveram à catástrofe de saúde pública vivida nesse país. Apenas reivindicam o socialismo como uma alegoria de um passado distante e um futuro inalcançável.

Aproveitamos para denunciar que a FOB-SP foi sistematicamente impedida de falar durante os atos em São Paulo. Nossa pretensão era novamente denunciar o caráter festivo e eleitoreiro das manifestações chamadas por tais organizações e apontar que o trajeto e o encerramento deveriam ter um conteúdo político, que contribuísse para o avanço das lutas, rumo à Greve Geral. Esse fato demonstra que desde sempre houve acordos entre esses oportunistas e a PMESP, pois nunca pudemos apontar trajetos e encerramentos diferentes desses combinados previamente. Demonstra, inclusive, o porquê dos militantes combativos, em sua justa revolta, terem sido criminalizados ao tentar radicalizar e fugir daquilo que está imposto por essas organizações, que estão tentando domesticar e desarticular a luta combativa para que seus objetivos eleitoreiros sejam alcançados.

O PCB afirma, de maneira mentirosa, que o Bloco Combativo se esconde em suas fileiras… Mas como isso seria possível se, ao menor sinal de conflito, as bandeiras desse partido somem magicamente e seus militantes fogem o mais rápido possível? Como seria possível se nesses momentos buscam ficar distantes dos “Black Bloc’s” para não serem confundidos com os verdadeiros combatentes do povo? Não querem ser confundidos, afinal, precisam da legitimação do Estado burguês para continuar, parasitariamente, no parlamento.

Está claro que, para esses grupos e outros mais, os infiltrados somos nós, o povo e suas organizações combativas, não a polícia. Os infiltrados, para eles, são aqueles que extrapolam as rédeas acordadas entre eles e a PMESP. Mas não recuaremos diante desses reacionários, afirmamos que irão diretamente para a lata de lixo da história, assim como muitos outros.

Nós, da FOB-SP, entendemos que a luta pela construção da Greve Geral e do socialismo perpassa necessariamente pelo enfrentamento com as forças de repressão, pelo direcionamento das manifestações aos órgãos de Estado que devem ser responsabilizados pelas mortes por COVID-19, pela fome, desemprego e assassinato de pessoas negras e periféricas. Enfim, mazelas desse sistema apodrecido não faltam e seus representantes devem ser cobrados, em instituições como prefeituras, secretarias e outras, mas também nominalmente, e não apenas Bolsonaro, mas Dória, Lula, e tantos outros políticos burgueses.

Entendemos também a necessidade fundamental de construir uma organização revolucionária de massas, capaz de rivalizar com o Estado brasileiro e colocá-lo abaixo. Para isso, devemos destruir as organizações fantoches do Estado, que fingem representar o povo, mas que seguem ludibriando este mesmo povo em sua farsa eleitoral, como se fosse uma festa realizada sob os cadáveres de milhares de brasileiros. Somente a construção de uma organização capaz de aglutinar as categorias mais precarizadas do povo será capaz de pôr abaixo o capitalismo brasileiro, sob um programa de evolução que tenha claro não somente seus objetivos, mas também suas decisões táticas, estratégias e ações.

Hoje, a FOB é o germe desta iniciativa, e se propõe a ser essa organização revolucionária, com a humildade em reconhecer a grande tarefa que está por realizar, bem como nossas limitações. Temos vontade e a disposição em defender com nossas vidas a classe trabalhadora, sem titubear e jamais debandar da luta, sem jamais fazer acordos com o Estado e suas forças de repressão, entendendo que para alcançarmos objetivos políticos cada vez maiores, precisamos de autonomia e independência, frente aos governos, patrões e todos seus fantoches. Por fim, afirmamos: somente o socialismo será capaz de impor derrotas aos algozes da classe trabalhadora, destruir o sistema capitalista e construir um mundo totalmente novo, realmente livre de exploração e opressão. O cenário está dado e, a partir de agora, apenas os que ousarem lutar ousarão vencer. Como disse o poeta guerreiro, “quem samba fica, quem não samba vai embora!”.

PELA AUTONOMIA E INDEPENDÊNCIA DA LUTA COMBATIVA!

PELO FIM DA CRIMINALIZAÇÃO DA LUTA!

ABAIXO AOS OPORTUNISTAS E REACIONÁRIOS!

ABAIXO AO GOVERNO BOLSONARO/MOURÃO!




Fonte: Lutafob.org