Maio 1, 2020
Do Guilhotina
229 visualizações


Por Víctor Boaventura

Nestes tempos de pandemia temos visto muitas das grandes empresas portuguesas a distribuir milhões em dividendos pelos seus accionistas. Enquanto isso, recusam-se a negociar aumentos de salários, despedem trabalhadores ou aproveitam as benesses do estado na forma de lay-offs.

Cerca de 90% das empresas cotadas no PSI-20 (índice da Bolsa de Lisboa) tem a sede da sua holding na Holanda. Desta forma evitam pagar impostos em Portugal. 

A “fuga” de impostos deve-se a uma carga fiscal mais baixa e a um acesso mais fácil à isenção de mais-valias e de tributação de dividendos praticados nesse país. A Holanda é o 4º maior paraíso fiscal do mundo e o maior da Europa, à frente até da Suíça.

Só em 2019, as empresas do PSI-20 com sede fiscal na Holanda distribuíram mais de 2 mil milhões de euros em dividendos aos accionistas. Em tempos de pandemia, essa distribuição vergonhosa de dividendos mantém-se. Segundo as nossas contas, este ano vão ser distribuídos 1683 milhões de euros (quantia que pode chegar aos 1945 se tivermos em conta os 262 milhões que já tinham recebido os accionistas da Galp no final do ano passado).

Vamos então ver o que cada empresa do PSI-20 vai pagar em dividendos a accionistas.

SONAE anula pagamento de dividendos mas mantém aumento de salários na gestão na ordem dos 9,3%

De acordo com o relatório de governo das sociedades, a Sonae gastou 1,5 milhões de euros em salários e outras remunerações variáveis com a comissão executiva no ano passado. 

A Sonae viu encargos com remunerações na comissão executiva subirem 9,3% em 2019, com a nova líder Cláudia Azevedo a auferir mais de 812 mil euros. 

Trabalhadores do CONTINENTE no topo da carreira ganham apenas 26 euros acima do salário mínimo nacional

A grande maioria dos trabalhadores do grupo continua a receber um salário próximo do salário mínimo nacional. Em Julho passado, os trabalhadores exigiam um aumento de 40 euros. Segundo o dirigente sindical Luís Figueiredo, o vencimento de topo desta profissão está apenas 26 euros acima do Salário Mínimo Nacional “quando em 2010 estava 140 euros acima da retribuição mínima nacional”.

Prémio de 20% do salário utilizado para pressionar trabalhadores

Numa campanha de comunicação interna, publicitada com pompa e circunstância na comunicação social, o Grupo Sonae prometia aos trabalhadores que estão na linha da frente durante a pandemia um prémio de 20% do seu salário.

Segundo o CESP (Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal), tal informação não corresponde inteiramente à verdade.

O que deveria ser uma justa recompensação pelo esforço dos trabalhadores, não é mais que uma campanha de branding, de divisão dos trabalhadores e de pressão para que estes abdiquem dos seus direitos. Ora vejamos:

Há vários trabalhadores que não receberam o dito prémio, mesmo não tendo faltado nenhum dia de trabalho;

Outros trabalhadores receberam valores muito distintos, apesar de terem salários semelhantes;

Estes trabalhadores discriminados e penalizados cometeram o “crime” de não ter aceite o banco de horas e se terem atrasado um ou dois minutos após o intervalo para o almoço ou para o jantar;

Para além disso, este prémio não foi aplicado aos trabalhadores da insígnia Worten, apesar de serem trabalhadores do mesmo grupo e expostos aos mesmos riscos.

Sport Zone, onde a Sonae é das maiores accionistas, está em lay-off

As 98 lojas da Sport Zone em Portugal fecharam a meio do mês passado e os trabalhadores, cerca de 1500, foram mandados para casa. 

EDP distribui 695 milhões de euros em tempos de pandemia

A EDP aprovou a distribuição de 695 milhões aos accionistas. Porém, o montante de lucros obtidos pela EDP em 2019 foi de 512 milhões de euros, pelo que a empresa eléctrica vai distribuir, em dividendos, um montante 35,7% (182,7 milhões de euros) superior aos lucros.

Os accionistas da EDP votaram 99,13% a favor da distribuição de dividendos superiores em mais de um terço aos lucros que a empresa teve em 2019. A principal accionista do grupo é a empresa China Three Gorges, do estado chinês.

EDP distribui dividendos mas não negoceia salários, acusa a CGTP

Em comunicado da comissão negociadora sindical da Fiequimetal, distribuído aos trabalhadores do grupo EDP, é afirmado: “Não temos administração para negociar tabela salarial. Só para distribuir lucros aos accionistas!”.

Importa salientar que os custos com os trabalhadores em 2019 foram de apenas 620 Milhões para o universo de 12 000 trabalhadores da EDP, a nível mundial.

GALP distribui cerca de 580 milhões de euros a accionistas 

No passado dia 24 de Abril, em assembleia geral, foi aprovada a distribuição de 318 milhões de euros a accionistas, que se somam aos 262 milhões que já tinham sido entregues no final do Verão, num total de 580 milhões de euros (537 milhões relativos ao lucro de 2019 e mais 43,5 milhões de resultados acumulados).

Relembramos que a mesma empresa já despediu mais de 80 trabalhadores precários, só em Sines, segundo denúncia do sindicato do sector.

Jerónimo Martins prepara-se para distribuir cerca de 217 milhões de euros a accionistas

A Jerónimo Martins propôs aos seus accionistas o pagamento de 216,8 milhões de euros em dividendos, relativos ao exercício de 2019. O valor corresponde a um dividendo bruto de 34,5 cêntimos por cada acção.

Pingo Doce retira um dia de descanso semanal aos trabalhadores e as medidas de prevenção de contágio são insuficientes

O sindicato dos trabalhadores do comércio, escritórios e serviços (CESP – Portugal) denuncia que o Pingo Doce do grupo Jerónimo Martins está a retirar um dia de descanso semanal aos trabalhadores e abusa do banco de horas.

O sindicato denuncia também que as medidas de prevenção do contágio são insuficientes, faltando garantia da desinfecção dos espaços e da limitação de entrada e aglomeração de clientes nos super e hipermercados. 

Altri vai distribuir 61,5 milhões de euros em dividendos a accionistas

Altri, produtora de pasta de papel, vai distribuir 61,5 milhões de euros em dividendos a accionistas. Os dividendos correspondem a 54% do lucro obtido pela empresa, correspondendo a um valor bruto de 0,30 euros por acção. 

Paulo Fernandes, CEO da Altri, não tem dúvidas de que os tempos vindouros serão difíceis e que será inevitável austeridade. Na mesma entrevista diz que não vai deixar de distribuir dividendos de milhões aos accionistas porque “no ano passado, teve um ano muitíssimo bom”.

Corticeira Amorim prepara-se para distribuir 24,6 milhões de euros em dividendos a accionistas

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Corticeira Amorim adianta que o Conselho de Administração propôs à assembleia-geral de accionistas a distribuição de um dividendo bruto de 0,185 euros por acção, o equivalente a 24,6 milhões de euros.

O lucro da Corticeira Amorim foi de 74,9 milhões de euros em 2019.

CTT recuam e já não pagam dividendos aos accionistas

A intenção era pagar um dividendo de 11 cêntimos por acção referente aos resultados do ano de 2019. Conselho de Administração justifica recuo com o impacto económico da pandemia do Covid-19. Comissão de Trabalhadores já tinha sugerido que a administração abdicasse daquele valor ao invés de recorrer a despedimentos.

Grupo Ibersol não sabe se vai distribuir dividendos mas recorre a layoff com lucros em 2019 de 17,5 milhões de euros

Grupo Ibersol não sabe se vai distribuir dividendo a accionistas, mas recorre a lay-off simplificado de trabalhadores. É de relembrar que esta empresa teve lucros na ordem dos 17,5 milhões de euros entre Janeiro e Setembro de 2019.

O Grupo Ibersol detém as marcas Pizza Hut, Burger King, KFC, O Kilo, Pasta Caffé, Pans, Miit, entre outras cafetarias e quiosques. Neste momento este grupo financeiro tem cerca de 647 unidades, das quais 341 em Portugal (340 próprias e uma franqueada), 288 em Espanha (178 próprias e 110 franqueadas), 10 em Angola e oito noutras localizações.

A NOS distribui 100% dos lucros obtidos em 2019 aos accionistas – 143,5 milhões de euros

A NOS vai entregar aos accionistas todos os lucros que obteve no ano passado, ou seja 143,5 milhões de euros. No ano passado e em anos anteriores a estratégia tinha sido a de pagar valores acima dos lucros aos accionistas. 

No ano passado a NOS pagou 180,3 milhões de euros, acima dos lucros que obteve (141,4 milhões de euros).

REN prepara-se para pagar a accionistas 114,1 milhões de euros, cerca de 96% dos lucros da empresa

O Conselho de Administração da REN vai propor, na Assembleia Geral de Accionistas do próximo dia 7 de Maio, o pagamento de um dividendo de 17,1 cêntimos por acção. O que equivale a 114,1 milhões de euros – 96% dos lucros da empresa.

Relembra-se que o Governo vendeu esta empresa, com capital patrimonial avaliado em cerca de 4 mil milhões, por apenas 1024,21 milhões de euros. Desde o ano do início da privatização (2008) até 2015, os lucros da REN já cobriram o valor da privatização. 

90% da venda de 11% da REN (a última fase de privatização em 2014) foi utilizada para reduzir 0,05% da dívida pública.

SEMAPA paga 10 milhões em dividendos a acionistas

A SEMAPA, empresa que funciona essencialmente em três sectores: pasta e papel; cimento; e ambiente – propõe distribuir cerca de 10 milhões de euros pelos accionistas. A empresa fechou o exercício de 2019 com um resultado líquido de 124,1 milhões de euros.

NAVIGATOR vai pagar 99,14 milhões de euros em dividendos a accionistas

De acordo com a proposta da administração, a papeleira pretende distribuir 99,14 milhões de euros de lucros pelos accionistas (a Semapa detém 70% do capital), o que representa um payout de 59% face aos lucros de 168,3 milhões de euros apresentados em 2019.

Gostaste do artigo? Considera subscrever a newsletter. Permite-nos chegar a ti directamente e evitar a censura das redes sociais.




Fonte: Guilhotina.info