Janeiro 31, 2022
Do Agencia De Noticias Anarquistas
153 visualizações

Jornal MAPA, edição #33 (Fev-Abr 2022)

Nesta edição, a primeira do ano em que celebramos o 10º aniversário, lançamos um olhar às práticas utópicas concretas de projetos que desafiam a regra capitalista através de uma conversa com o antropólogo João Carlos Louçã, em torno da memória de espaços de resistência no Porto, projetando uma etnografia de esperança que procura os futuros possíveis. Igual sentido percorre a entrevista feita a três membros do Congresso Nacional Indígena na sua passagem por Portugal como parte da Viagem pela Vida organizada pelo movimento zapatista. Do quotidiano dos migrantes, enquanto ferramentas de trabalho ou armas de geopolítica, unem-se relatos do Alentejo, a outros da Suíça e da fronteira leste da UE. Sobre os quotidianos escondidos dasprisões portuguesas, partilhamos cartas que denunciam a desumanidade do sistema prisional. E, em entrevista com a Habita e a Stop Despejos, sublinhamos que ocupar casas é um direito à habitação.

Um olhar ao antes e depois de Abril é lançado a partir das leituras de livros de Mário Dionísio e Fernando Oliveira Baptista, assim como em notas sobre a região (pós) industrial de Setúbal. Nesta edição, publicamos também crônicas em torno das alterações climáticas depois de mais uma “última oportunidade” – a COP de Glasgow; reflexões sobre o desenvolvimento rural, ou sobre o fetichismo e a ilusão de naturalidade do valor, assim como sobre a luta contra as minas em clima (pré) eleitoral. Trazemos também a terceira entrevista da série testemunhos do capitalismo verde, desta vez a um ativista judicial das comunidades indígenas no centro da exploração de lítio, no Chile. Por fim, com poesia, banda desenhada e em crônica, refletimos sobre a polarização perigosa que cola automaticamente o selo de “negacionista” a quem se atreva a destoar do coro oficial da pandemia.

Nota final para a explosão dos custos de impressão, que nos obriga à redução do número de páginas (das 48 para as 40), ao aumento do PVP do jornal para 2 euros e a um ligeiro aumento das assinaturas em 5€. Só assim nos conseguimos manter à tona da água, lutando pela vida deste projeto de informação crí­tica, feito de forma voluntária, auto-gerida, totalmente autônoma e independente. E é aqui que devemos agradecer o apoio inestimável de quem é assinante e garante da nossa continuidade. Junta-te a esse apoio emhttps://www.jornalmapa.pt/.

agência de notícias anarquistas-ana

passeio de madrugada
os meus sapatos
empapados de orvalho

Rogério Martins



on Twitter


on Facebook


on Google+




Fonte: Noticiasanarquistas.noblogs.org