Fevereiro 10, 2021
Do Reporter Popular
360 visualizações


O preço do botijão de gás explodiu no último ano e passou a custar mais de R$ 80 em muitos estados. Tudo indica que continuará assim em 2021. Hoje, o valor médio, no país, é de R$ 78 e passa de noventa reais nos estados da região Norte, onde a população em geral é mais pobre.

No último ano, o preço do botijão de gás explodiu e aumento foi de quase 12%, índice muito mais alto que a inflação e que o aumento do salário mínimo, hoje em R$ 1.100,00. Além disso, com o fim do auxílio emergencial, muitas famílias simplesmente estão retornando à extrema pobreza, sem dinheiro para despesas mínimas, como comprar alimentos e pagar contas.

De quem é a culpa?

O aumento do preço do gás tem relação direta com a política de preços que o governo aplica na Petrobras. Em 2017, a empresa passou a reajustar o valor de acordo com os preços internacionais do petróleo e do dólar. Mesmo que o Brasil produza o próprio gás de cozinha, quando os preços lá fora sobem, a Petrobras também aumenta o valor do gás vendido às distribuidoras, que repassam esse aumento à população. O mesmo acontece com gasolina e diesel, por exemplo, o que só ajuda a encarecer o preço de outros produtos, como os alimentos.

Leia também: O alto custo de vida, o povo mais pobre e a greve dos caminhoneiros
Auxílio emergencial

No meio dessa crise, com desemprego alto, aumento dos casos da covid-19, e muita gente no trabalho informal, o povo vem reivindicando o retorno do auxílio emergencial de R$ 600, cortado pela metade ano passado, e depois encerrado pelo governo federal. A medida provou eficácia, ao dar segurança alimentar a milhões de famílias, dar condições melhores para o isolamento, e ter ajudado a movimentar a economia, por meio do consumo de itens básicos.

Confira os preços médios do botijão em cada estado, em fevereiro de 2021:
Acre 97,09
Alagoas 74,32
Amapá 98,56
Amazonas 84,48
Bahia 73,67
Ceará 84,87
Distrito Federal 76,28
Espírito Santo 74,64
Goiás 80,71
Maranhão 80,04
Mato Grosso 97,66
Mato Grosso do Sul 77,60
Minas Gerais 78,22
Pará 87,67
Paraíba 80,76
Paraná 80,31
Pernambuco 70,65
Piauí 79,92
Rio de Janeiro 69,75
Rio Grande do Norte 78,36
Rio Grande do Sul 75,14
Rondônia 91,93
Roraima 96,50
Santa Catarina 84,72
São Paulo 76,89
Sergipe 81,33
Tocantins 86,46

Fonte dos dados: Agência Nacional do Petróleo




Fonte: Reporterpopular.com.br