Fevereiro 9, 2022
Do Reporter Popular
241 visualizações

No último fim de semana, nos dias 5 e 6, foi realizada a  oficina “Meu fanzine minha arte: Recortar e colar com Amorabi”, na Associação de Moradores do Bairro Itinga. A atividade é fruto do projeto cultural aprovado pela lei Aldir Blanc de 2021.

Pessoas de diferentes bairros e idades participaram da oficina, desde crianças, adolescentes, adultos e idosos. No total, a atividade contou com a participação de 25 pessoas nos dois dias.  A oficina foi ministrada pelas professoras de história, Evelyn de Jesus Jeronimo e Larissa Graper.

Segundo as educadoras, a oficina tem como objetivo, dialogar e incentivar a comunidade dar início a uma nova forma de fazer arte, já que o processo de criação de um fanzine utiliza-se da imaginação, criação e liberdade expressiva. O fanzine é uma ferramenta artística popular de comunicação, apontam as professoras.

A oficina também contou com uma apresentação histórica sobre o surgimento do fanzine, a confecção do material no Brasil, suas atualidades, a prática do fanzine no curso de História da Univille e sua utilização nos coletivos e movimentos sociais como forma de comunicação.

Em seguida, as tesouras e colas tomaram a cena. A partir dali foram criadas fanzines sobre diversos temas como amamentação, xadrez, consumo consciente em brechós, capoeira, volta às aulas, entre outras temáticas.

A realização da oficina foi feita em um momento importante da associação de moradores, já que o espaço está retomando as suas atividades gradativamente após serem interrompidas pela pandemia de Covid-19. Momentos coletivos como esses são de suma importância para fortalecermos nossa solidariedade, escuta e a luta nos bairros da zona sul da cidade, finalizam as professoras.




Fonte: Reporterpopular.com.br