Novembro 21, 2020
Do Reporter Popular
349 visualizações


Após seguranças do Carrefour de Porto Alegre assassinarem Beto, um homem negro de meia idade, enquanto fazia compras com a família, cidades por todo o país registraram protestos em mercados da rede Carrefour.

No Rio, o ato aconteceu no Carrefour da Barra da Tijuca, zona oeste da cidade. Os manifestantes se concentraram na entrada do estabelecimento por volta das 16 horas, e logo entraram no mercado. Após entrarem, foi realizada uma ação de diálogo, pedindo que os clientes deixassem o local e fossem fazer compras em outro lugar, devido ao que ocorreu no dia anterior. A maior parte dos clientes aceitou a situação e deixou o mercado. Alguns relutaram mas, por fim, todos deixaram a loja pacificamente.

Após o esvaziamento, os manifestantes bloquearam o acesso ao mercado e os caixas, usando carrinhos de compras e pneus que haviam no próprio Carrefour. Uma barricada imensa foi montada, e a partir daí a pressão passou a ser para que o gerente liberasse os funcionários e fechasse a loja. Às 19 horas os manifestantes foram atendidos, e o Carrefour fechou 3 horas antes do normal, após ser ocupado por outras 3 horas.

No final, os manifestantes fizeram um bloco com cordão humano para passar pelo forte contingente policial que estava de tocaia na saída do mercado. Apesar da presença da cavalaria e de muitas viaturas, não houve confronto.

Há mais 3 atos marcados no Rio de Janeiro nesse domingo. Nos mercados da rede Carrefour de São Gonçalo, no Leste Fluminense, de Belford Roxo, na Baixada Fluminense, e no do Norte Shopping, na zona norte.




Fonte: Reporterpopular.com.br