Fevereiro 13, 2021
Do Passa Palavra
399 visualizações


Por Kim Jolliffe

Na segunda-feira passada (01/02) ocorreu um golpe militar em Myanmar (país também conhecido como Birmânia ou Burma). Na mesma semana, operários do subúrbio de Hlaing Tharyar, em Yangon ocidental, bloquearam o tráfego na estrada Insein e entoaram cantos contra a ditadura militar. As informações deste artigo foram originalmente publicadas em uma thread do Twitter e foram traduzidas e editadas pelo coletivo do Passa Palavra, na esperança de, ao mesmo tempo em que alertam para o acirramento dos conflitos por lá, orientar os militantes lusófonos sobre medidas de proteção individuais e coletivas em protestos.

Uma análise MUITO PRELIMINAR das ordens distribuídas à #Polícia de #Myanmar esta semana.

Os documentos dão à polícia permissão para reagir aos protestos e prender pessoas, especialmente “médicos e enfermeiros” e dissidentes, sem necessidade de qualquer permissão especial para isso.

Eles parecem instruir a polícia a usar espingardas calibre 12 com balas de borracha contra manifestantes isolados e granadas de dispersão de tumultos de 38 mm (incluindo gás lacrimogêneo) contra multidões.

[A tradução ao pé da letra seria 12 volts, mas como não sabemos qual é a terminologia para armamentos usada em língua birmanesa, podemos supor que o significado é calibre 12. Tasers ou outras armas elétricas têm milhares de volts, não 12. Mais à frente o documento refere balas de borracha].

Quando a polícia possui um treinamento adequado, as granadas de dispersão de 38 mm são atiradas para baixo, para que os estilhaços façam ricochetes pelo chão. Mas quando a polícia não possui treinamento adequado e as granadas são atiradas contra uma pessoa, elas podem matá-la.

Além destas instruções, há também o risco de uso de armas mais letais, como as forças de segurança de Myanmar fizeram no passado.

O documento também instrui os policiais a buscarem a colaboração das autoridades locais e denunciá-las se se recusarem a obedecer; a saírem à paisana sem uniforme para patrulhar suas jurisdições; e a cooperar com os militares a todo momento.

SEGURANÇA EM PRIMEIRO LUGAR!!! FIQUE LONGE DO PERIGO E SAIBA SUA ROTA DE FUGA.

SE PUDER, SE AFASTE: Tente minimizar a exposição. Busque ar fresco e, se possível, terrenos elevados. RCAs [riot control agents, isto é, gás lacrimogêneo] tendem a formar uma névoa densa e baixa, pois são mais pesados que o ar.

VENHA PREPARADO

Equipamentos de proteção usados em Hong Kong no verão de 2019 [da esquerda para a direita, de cima para baixo]: capacete de segurança amarelo: protege contra balas de borracha, cilindros de gás lacrimogêneo, tijolos; cobertura facial: dificulta o reconhecimento facial; mochila: geralmente usada para carregar comida, água, mudas de roupa, ferramentas e às vezes lasers para ofuscar a visão dos policiais; cotoveleiras e joelheiras: para cair, rastejar e evitar escoriações pelas ruas; dinheiro trocado: para a tarifa do metrô, para evitar o rastreamento pelo passe eletrônico; óculos de proteção: para estilhaços; máscara de gás: protege contra o gás lacrimogêneo, com que se esbanja a polícia de Hong Kong; camiseta preta: uniforme dos manifestantes de Hong Kong, em contraste com as camisetas brancas usadas pelos apoiadores de Pequim; mangas de lycra: protege contra os efeitos do gás lacrimogêneo; guarda-chuva: protege contra chuva e spray de pimenta; luvas térmicas: para jogar os cilindros de gás lacrimogêneo de volta na polícia.

SE ATINGIDO POR GÁS LACRIMOGÊNEO

PROTEJA-SE CONTRA O GÁS LACRIMOGÊNEO:

GUIA RÁPIDO

O “gás” lacrimogêneo é na verdade sólido, mas se dispersa em pequenas partículas por um cilindro usando energia térmica (calor). Isto deixa os cilindros de gás lacrimogêneo extremamente quentes. As partículas de gás lacrimogêneo são absorvidas pelo muco das membranas dos olhos e dos pulmões. Não toque num cilindro ativado: tocar num cilindro aceso sem proteção pode resultar em queimaduras graves. Só pegue um cilindro ativado com luvas de couro ou outro equipamento de proteção resistente ao calor.

ÁGUA & CONES DE TRÂNSITO

Cubra o cilindro com um cone de trânsito. Tente deixá-lo bem debaixo da abertura no topo. Encontre uma fonte de água e derrame-a pela abertura no topo para apagar o cilindro. Isto pode requerer muita água. Não desperdice suas garrafas d’água.

BICARBONATO DE SÓDIO & ÁGUA

Misture três colheres de chá de bicarbonato de sódio com 250 mL de água em casa, enchendo um borrifador, e leve-o consigo. Ao ser alertado de que foi lançado gás lacrimogêneo, borrife o rosto, a boca e os olhos com a água. O pH da água ajuda a neutralizar a química do gás lacrimogêneo.

SUCO DE LIMÃO & VINAGRE

Em casa, mergulhe um pano ou bandana numa mistura de suco de limão com vinagre. Leve a mistura e o pano numa bolsa à prova d’água. Quando o gás for lançado, cubra a boca e o nariz com o pano. A acidez neutralizará a química do gás lacrimogêneo.

CUBRA-O!

Cubra o cilindro com uma caixa de papelão ou qualquer outra coisa ao seu alcance. Isso ajuda a conter o gás, assim você e seus camaradas serão menos expostos.

ENXAGUE OS OLHOS [use água; outros líquidos, como leite, não são amplamente testados nem recomendados]: não toque os olhos, boca ou nariz. Enxague os olhos com punhados de água ou água corrente por 10-15 minutos.

ENXAGUE SEU CORPO: Remova qualquer vestimenta desnecessária o mais rápido possível. Lave-se com a fonte de água mais próxima. Podem ser bebedouros ou um vestiário público. Garrafas d’água podem ser usadas como um primeiro enxague.

Orientações cruciais para organizar protestos seguros de forma eficaz, com lições de #hongkong e #tailândia, etc.

Instruções para manifestantes pacíficos:

1. Formação guarda-chuva: abra guarda-chuvas no alto ou nos flancos. Por favor, ajude outros abrirem os guarda-chuvas quando vir pessoas compondo a formação guarda-chuva.

2. Mantenha distanciamento social: para movimentar-se com facilidade quando a polícia chegar.

3. Equipamentos básicos: água, cabo de nylon, guarda-chuva.
Outros: chave inglesa, chave Allen, soro fisiológico.

4. Fique em silêncio: ouça as pessoas que estão à frente, especialmente quando a polícia estiver presente.

5. Corrente humana: mantenha uma distância de dois braços. Use apenas uma mão para passar os materiais (isto é, uma mão pega, a outra passa adiante). A corrente humana deve ser longa e passar os materiais rapidamente.

6. Black Block: vestes pretas, máscaras e mochilas sem marcas. Lembre-se de cobrir tatuagens ou marcas no seu corpo que possam identificá-lo.

7. Equipamento: não há necessidade de máscaras respiratórias ou óculos de proteção facial. Deixe para o pessoal na linha de frente.

8. Pareça um transeunte: se você está “limpo” (isto é, não carrega equipamentos), fique calmo e vá embora devagar. Deixe o pessoal da linha de frente ir embora primeiro.

SEGURANÇA EM PROTESTOS – ANISTIA INTERNACIONAL: [de cima para baixo e da esquerda para a direita]

O QUE FAZER:

+ Se planeje: para necessidades básicas, primeiros socorros e provisões. Saiba o que está por vir. Saiba como conseguir ajuda. Planeje como retomar o contato com seus camaradas no caso de se separarem.
+ Permaneça calmo e focado: quando as coisas ficarem mais intensas reaja aos sinais de perigo e alerta antes, não depois.
+ Observe sinais de problemas físicos e mentais em si mesmo e nos outros. Acalme aqueles que demonstrem estar em pânico.
+ Documente: filme ou registre ações policiais, brutalidade e ferimentos.

O QUE LEVAR:

+ Garrafa d’água com borrifador, para beber e para enxaguar a pele e os olhos.
+ Lanches energéticos.
+ [Documento de] identificação e/ou contato para emergências.
+ Dinheiro suficiente para usar um telefone público, alimentação e transporte.
+ Relógio, papéis, caneta para documentação precisa dos acontecimentos.
+ Inalador, epipen [caneta de adrenalina], insulina & vários dias de remédios prescritos.
+ Absorventes menstruais. Evite usar tampões — se você for presa, pode não ter a chance de trocá-los.
+ Kit básico de primeiros socorros
+ Lenços umedecidos e lenços de papel.

LIDANDO COM GÁS LACRIMOGÊNIO:

+ Evite usar óleos & loções porque eles podem reter produtos químicos e prolongar a exposição.
+ Máscaras de gás proporcionam a melhor proteção facial, se devidamente ajustadas e vedadas. Como alternativa, óculos de proteção, máscaras respiratórias ou bandanas umedecidas sobre o nariz e a boca podem ajudar.
+ Fique calmo. Entrar em pânico aumenta a irritação. Respire devagar e lembre-se de que é temporário.
+ Assoe o nariz, enxague a boca, gargareje e cuspa. Tente não engolir.
+ Se estiver usando lentes de contato: você deve removê-las ou pedir para que alguém o faça com os dedos LIMPOS, não contaminados. Destrua as lentes depois da exposição.
+ NÃO ESFREGUE [OS OLHOS].
+ Enxague os olhos com uma solução de 50% antiácido líquido e 50% água. Só funciona com hidróxido de alumínio ou hidróxido de magnésio.

O QUE NÃO FAZER:

+ Não passe vaselina, óleo mineral, protetor solar à base de óleo ou hidratantes na pele, pois eles podem reter produtos químicos.
+ Não use lentes de contato, que podem reter produtos químicos.
+ Não use coisas que possam ser facilmente agarradas (jóias, gravatas, cabelo solto).
+ Não vá sozinho, se possível — vá com um grupo de afinidade ou alguns amigos que te conheçam bem.
+ Não se esqueça de se alimentar e beber bastante água.

O QUE VESTIR:

+ Óculos de natação à prova de choques e máscara N95.
+ Calçados de proteção confortáveis com os quais você possa correr.
+ Roupas cobrindo toda a pele para proteger-se da exposição ao Sol e de sprays de pimenta.
+ Proteção ocular à prova de choques (isto é, óculos de sol, de natação ou máscara de gás).
+ Bandana embebida em água, suco de limão ou vinagre, para cobrir o nariz e a boca. Pode facilitar a respiração durante a exposição a produtos químicos.
+ Mudas de roupa num saco de plástico (em caso de ser contaminado por armas químicas).
+ Um chapéu para te proteger do Sol e de armas químicas.

SAIBA SEUS DIREITOS:

+ Liberdade de expressão e de reunião: todos têm o direito de expressar suas opiniões na rua.
+ Proteção da liberdade de reunião: a polícia deve facilitar, não restringir uma manifestação pacífica.
+ Uso excessivo de força: ao acompanhar protestos não-violentos, a polícia deve evitar o uso da força.
+ Direito à assistência médica: se você for ferido, você tem o direito à assistência médica imediata.
+ Prisões arbitrárias e detenções: se você for preso, você tem o direito de ser informado do motivo de sua prisão. Você também tem o direito, imediatamente após sua prisão, de ter acesso a um advogado e à sua família.
+ Direito de prestar queixa: se seus direitos foram violados, você tem o direito de prestar queixa e de ser informado sobre como fazê-lo




Fonte: Passapalavra.info