328 visualizações

Nesta hora triste para o povo ucraniano e para o povo russo, vítimas dos seus governos inconscientes que a uma guerra fraticidada, partilhamos a DECLARAÇÃO DO MOVIMENTO PACIFISTA UCRANIANO:

O Movimento Pacifista Ucraniano condena todas as acções militares provindas dos lados russo e ucraniano no contexto do actual conflito. Lançamos um apelo aos líderes de ambos os Estados e suas forças militares para que retrocedam e se sentem à mesa de negociações. A paz na Ucrânia e no mundo inteiro só pode ser alcançada de forma não-violenta! A guerra é um crime contra a Humanidade. Estamos, por isso, determinados a não apoiar nenhum tipo de guerra e a lutar pela eliminação de todas as suas causas!

(declaração de 25-2-2022 da secção local ucraniana pela organização War Resisters International)

Nesta hora de extrema gravidade para a nossa vida colectiva como seres humanos neste planeta, partilhamos igualmente a posição da Comissão Executiva daquela organização:

“Como membros da Internacional dos Resistentes à Guerra, estamos extremamente preocupados com a guerra na Ucrânia.

A guerra é um crime contra a humanidade!

Apelamos à Rússia para cessar imediatamente todos os ataques e retirar as suas tropas das fronteiras com a Ucrânia.

Apelamos ao povo de Luhansk/Lugansk e Donetsk/Donetsk que deixe claro ao governo russo que deseja determinar seu próprio destino, não à custa da guerra.

Apelamos ao governo ucraniano para que renuncie à resistência militar e, em vez disso, que proclame a resistência civil.

Apelamos ao povo ucraniano para que recuse toda a obediência a um possível novo governo instalado pela Rússia. Isso chama-se defesa social. No caso da Rússia ocupar a Ucrânia, se todos se recusarem a obedecer às suas ordens, em última análise, a Rússia não será capaz de atingir seus objetivos.

Apelamos também ao povo russo e aos soldados russos para que recusem toda a obediência aos atos de guerra do seu governo, resistam de forma não violenta e provoquem o fim do regime de Putin. Isso também faz parte da defesa social.

Apelamos à Rússia, à ONU, à OSCE, à NATO e a todos os governos para que iniciem as negociações imediatamente.

Apelamos aos países membros da NATO para que mostrem moderação na sua resposta à agressão russa e não façam o povo russo pagar pelos crimes de sua liderança.

Estamos solidários com o povo da Ucrânia nestes tempos difíceis e apoiamos aqueles que resistem à guerra na Ucrânia, na Rússia e em outros lugares.

Comitê Executivo Internacional dos Resistentes à Guerra




Fonte: Aideiablog.wordpress.com