164 visualizações

O povo que habita a Terra Indígena Yanomami, na região de Roraima, vem sofrendo com a violência do garimpo ilegal nos últimos meses. Mesmo com a terra demarcada e homologada há 30 anos, o território foi invadido por garimpeiros em busca de ouro e cassiterita, sob a conivência e até incentivo do Estado.

No ano passado, a devastação da terra indígena pelo garimpo ilegal cresceu 46% em relação ao ano anterior, avançando sobre as plantações dos Yanomami, destruindo sua subsistência. Estima-se que mais de 16 mil indígenas foram afetados. A invasão também afeta a saúde do povo Yanomami, com aumento expressivo de casos de malária e desnutrição infantil.

Os garimpeiros aliciam adolescentes e jovens indígenas a trabalharem para eles, o que envolve assédio e abuso sexual de mulheres e crianças, que são embriagadas com bebidas alcoólicas. No mês passado, uma indígena de 12 anos morreu após ser estuprada por garimpeiros, e uma criança indígena morreu afogada ao ser jogada no rio junto com uma mulher, em uma tentativa de sequestro.

Segundo a Comissão Pastoral da Terra, foram 101 mortes de indígenas na TI Yanomami apenas no ano passado, em decorrência de conflitos com o garimpo ilegal, um cenário descrito por lideranças como genocídio.

Para denunciar essa situação, em todo o Brasil estão sendo realizadas manifestações pelos movimentos populares. A militância da CAB apoia e também constrói essas mobilizações, em defesa irrestrita dos povos originários, por sua autoorganização e pela expulsão de garimpeiros e mineradores de suas terras.

SOLIDARIEDADE AOS YANOMAMI!
FORA GARIMPEIROS!

Coordenação Anarquista Brasileira
Maio de 2022




Fonte: Cabanarquista.org