Abril 12, 2021
Do Agencia De Noticias Anarquistas
375 visualizações


O desaparecimento da placa na casa onde viveu o pai da anarquia tem despertado perplexidade. Mas Arminio Sciolli reafirma: “Em breve colocaremos a escrita de volta”.  Não é nenhum gesto reacionário, simplesmente a tinta estava descascando”.

A anarquia não vive uma vida fácil no Ticino. De fato. Mas Locarno continua sendo uma cidade aberta a ideias; então o desaparecimento da placa que homenageia Michail Bakunin (1814-1876), pai russo do anarquismo moderno, “não foi um gesto reacionário”, assegura Arminio Sciolli. O diretor do Leonardesco Rivellino é também o proprietário da casa, na esquina da Via Bartolomeo Rusca, em cuja parede amarelada, durante vários dias, você não pode mais ler a homenagem com uma bela caligrafia: “Aqui viveu M. Bakunin no bicentenário de 30.5.2014”, com um A circulado. Um desaparecimento que levantou mais de um protesto e levou o prefeito da cidade, Alain Scherrer, a esclarecer nas mídias sociais que “a placa não foi retirada pelo município”.

Uma questão de pintura – O fato é simplesmente que as ideias podem ser “eternas”, mas a tinta um pouco menos. “A tinta descascou e tivemos que repintar para que o inquilino tivesse uma fachada de entrada apresentável”. Mas – acrescenta Sciolli – pretendemos que Sandra Von Rubenwil refaça as letras o mais rápido possível. Uma caligrafa Ticinêsa muito importante”.

Na esteira de Szeemann – tranquilos com o futuro, podemos dar um breve salto para o passado. Para esclarecer que o anarquista e revolucionário russo, nos anos por volta de 1870, “tinha realmente vivido em frente à casa Art Nouveau, que não existia na época”. A localização exata é onde o Hotel dell’Angelo está hoje”. A inscrição, continua nosso interlocutor, “foi colocada há quase sete anos por ocasião do bicentenário de seu nascimento”. Não é a única escrita pela caligrafa. Há outros no Rivellino. “A escrita – lembra Sciolli – também foi feita no espírito de Harald Szeemann (historiador suíço e curador de arte de estatura internacional). Foi ele quem tinha integrado a figura de Bakunin, como antecipador, na lista de artistas Dada e também tinha indicado o endereço exato onde ele morava, na região de Motta. Durante o verão, fique tranquilo, a escrita estará de volta. Também estávamos aguardando a nomeação do novo diretor de serviços culturais da cidade”. Os espectros, portanto, devem ser procurados em outro lugar.

Fonte: https://www.tio.ch/ticino/attualita/1500695/scritta-bakunin-casa-sparizione-stata

Tradução > Liberto

agência de notícias anarquistas-ana

a noite sorri
lua crescente
nos olhos do guri

Alonso Alvarez




Fonte: Noticiasanarquistas.noblogs.org