351 visualizações


   No último dia 25 de maio, aconteceu uma carreata de enfermeiros e técnicos em enfermagem em Goiânia, a carreata aconteceram no Brasil inteiro puxado por entidades de base  que representam os trabalhadores da enfermagem, a pauta principal era pela aprovação a PL 2564/2020 que propõem um piso salarial a categoria, além de estabelecer a carga horário de 30 horas, mas além dessa luta,  a realidade dos trabalhadores da enfermagem está bem difícil, a FAT conversou com o trabalhador da saúde , Edivaldo Marinho  dos Santos um pouco sobre a realidade da categoria, segue abaixo a transcrição da entrevista.

  1. Qual é a realidade de trabalho dos enfermeiros em Goiás? A pandemia piorou as condições de trabalho?

R : A carga horária é bem desgastante, a grande maioria dos trabalhadores tem que fazer dois ou três plantões para complementar a renda, só um plantão não dá para sobreviver, hoje o salário na médio de um técnico em enfermagem gira em torno de 1200 é o enfermeiro 2500.

2 )  Qual foi a reivindicação dos enfermeiros na carreata de hoje ?

R: A aprovação da  PL 2564, que  está a anos  no senador para  ser votada ,  a PL propõem uma  carga horária de 30h semanais e o piso salarial d 3000 para técnico em enfermagem e 7000 o enfermeiros.

3)Qual foi a avaliação da carreata, teve o apoio esperado?

R:Nosso objetivo foi alcançado, foi a primeira de muitas lutas que pretendemos fazer, essa foi nacional simultâneo, vamos nos reagrupar e faz mais com mais afinco.

4) O que outros trabalhadores podem fazer para apoiar a luta de vocês?

R: As pessoas foram na porta dos hospitais , com  aplausos, flores e músicas, nós agradecemos , então queremos o apoio de todos nas redes sociais e nas ruas pedindo ao  nossos legisladores que aprovem PL 2564 já !

Mas nos só teremos êxito quando elegermos pessoas para legislar e que vivam nosso dia dia, e saibam de cada situação de resiliência e proatividade que passamos, aonde tem um paciente tem a enfermagem , já morreram 700 profissionais em Goiás nessa pandemia estamos cansados de aplausos e exaustos de tantos plantões e falta de  insumo medicamentos e EPIS.

A FAT agradece ao trabalhador Edivaldo Marinho dos Santos pelo relato da carreata e da realidade da categoria e se coloca à disposição em toda luta da categoria dos trabalhadores da enfermagem.

                          Todo apoio a luta dos trabalhadores de enfermagem pelo Piso Salarial e pelas 30 horas!

Só a luta muda!

Avante a união de todos os trabalhadores!





Fonte: Federacaoautonoma.wordpress.com